Wilson avança na capital

10/09/2014 - 11:34

Foto Instagram do candidato

Foto Instagram do candidato

Com maior volume de campanha e favorito na disputa pela única vaga do Senado, o ex-governador Wilson Martins(PSB) tem motivos para comemorar o resultado da pesquisa Amostragem divulgada nesta quarta-feira pelo Sistema Meio Norte de Comunicação.
Os números apontam crescimento de 5 pontos em Teresina frente ao favoritismo dos ex-prefeito Elmano Férrer (PTB) junto ao eleitorado da capital.
Na pesquisa do mesmo instituto, divulgada no fim de agosto, Wilson Martins aparecia com 23% das intenções de votos na capital. Hoje, a pesquisa aponta Wilson com 28,3%.
Agora, Wilson lançou um desafio pessoal nesta reta final: quer chegar à frente do véin em todas as cidades do Piauí.

Coluna do dia – Data AZ confirma alto número de eleitores indecisos

10/09/2014 - 07:36

 

 Pesquisa Data AZ 090914

 

Coluna do dia – Data AZ confirma alto número de eleitores indecisos

Os números do Data Az não diferem muito em números do Amostragem. Pelos dois levantamentos, o senador Wellington Dias leva a disputa no primeiro turno das eleições. Cenário que vem se repetindo desde o início da campanha eleitoral e agora com uma diferença menor, mais ainda grande com relação ao segundo colocado, o governador Zé Filho, Os números são 50,04% contra 27,37%. Na pesquisa estimulada, a diferença caiu mais de seis pontos com Wellington Dias apontando 34,13% das intenções de voto  contra 19,17% do governador Zé Filho.

Tanto no Amostragem, divulgado ontem, como no Data AZ, o blog volta a chamar atenção para o grande número de eleitores indecisos quando levados a responder na pesquisa espontânea. Pelo segundo instituto , que só apresentou dados referente à capital no quesito indecisão, consta que 35,63% não sabem em quem votar nas eleições para governador. Outros 5,46% não diz quem vai votar. A soma dos dois dá mais de 40% e se equipa ao dado apresentado ontem pelo Amostragem que foi de 43,10%.

Já quando o eleitor é confrontado com os nomes dos candidatos, na pesquisa espontânea, o índice de indecisos cai para 7,72%, o que ainda representa um número alto, principalmente, se levado em consideração os 4,5% que afirma não votar em nenhum dos nomes citados.

A pesquisa foi realizada entre os dias 3 e 7 de setembro, em 51 municípios, e está registrada sob o número 00118/2014.

 

Rejeição dos candidatos

A divergência entre os números do Amostragem e do Data AZ diz respeito ao quesito rejeição. O ex- senador Mão Santa continua mais rejeitado com 18,85% dos eleitores dizendo que não votariam nele para governador do Piauí. Mas, a segunda posição é ocupada pelo senador Wellington Dias em condição de empate técnico com o primeiro colocado com 16,31%.

O governador Zé Filho tem rejeição de 14,24%, enquanto Maklandel Aquino aparece com 5,89%, seguido por Lourdes Melo, com 3,42%.

 

O crescimento em Teresina

Talvez seja embalado pelos números na capital que Zé Filho alimenta a tese de que chegará ao segundo turno. Afinal de contas, como dito aqui, desde o início da campanha, Teresina é caixa de ressonância do eleitorado piauiense e todo o resultado no que diz respeito à sucessão estadual sempre influenciado pela preferência dos teresinenses. Além, claro, de ter o maior impacto no resultado geral por ser o maior colégio eleitoral do Estado.

O fato é que na pesquisa estimulada Wellington Dias aparece com 41,09% e Zé Filho com 31,03%. A diferença caiu bastante na capital e é de 10%.  Ainda assim, tucanos e o próprio governador Zé Filho prometem vitória na capital com ampla margem de votos.

 

Wellington Dias recebido por médica cubana

Isso é que se chama de inocência à prova. O que dizer quando a própria equipe do senador Wellington Dias divulga que ele é recebido por médica cubana no interior do Piauí?

 

wellington dias e médica cubana

 

Afinal, como acreditar em inocência quando se dá de bandeja munição para o adversário explorar que o PT usa o Programa Mais Médicos para promoção dos seus candidatos?

 

Marina vem aí…vem ?

O blog continua achando difícil, muito difícil o desembarque da candidata Marina Silva ainda no primeiro turno das eleições gerais no Piauí. O Estado não chega  a 2% do eleitorado brasileiro,  figura entre um dos menores do país, embora outros 14 estados tenham índice menor.

A questão é que aqui Marina Silva não terá o palanque de um candidato a governador. A não ser que esteja disposta a encarar o palanque de Neto Sambaíba, do PPL, um dos primeiros partidos a declarar apoio à candidatura da pessebista.

 

Recordar é viver

A Isto É desta semana questiona a candidata Mariana Silva pelo fato de ela se apresentar e querer implantar uma “nova política”. Mas, ao seu lado estão nomes conhecidos e reconhecidos da política nacional.

Foram citados três nomes: Paulo Bornhausen(PSB /SC),  Roberto Freire(PPS /SP) e Heráclito Fortes (PSB /PI)

A 25 dias da eleição 43% ainda estão indecisos

09/09/2014 - 19:05

 eleitor-indeciso-400x329

Na pesquisa eleitoral estimulada do Instituto Piauiense de Opinião Pública (Amostragem) divulgada hoje (9) pelo Sistema Meio Norte de Comunicação, o senador Wellington Dias (PT) tem 52,77% das intenções na disputa pela Governo do Estado; o governador Zé Filho (PMDB) tem 23,13% e o ex-senador Mão Santa (PSC) aparece em terceiro lugar com 7,21%. Alguns outros dados como o de percentual acima de 100 para a rejeição dos candidatos, ou seja, os eleitores estão rejeitando mais de um dos nomes que estão disputando a eleição. Outra informação que deve ser bem observada é a quantidade de eleitores indecisos na pesquisa espontânea, 43%.  A pesquisa foi realizada de 17 a 20 de julho tem margem de erro de 2,85% e foi registrada no TRE-PI sob o protocolo 00073/2014. Pela pesquisa Wellington Dias se elegeria no primeiro turno.

Ainda tem muito eleitor indeciso

Nas três pesquisas realizadas, o percentual de eleitores indecisos na consulta estimulada (aquela que o pesquisador dá os nomes que concorrem) começou com 9,06% em julho, subiu para 11,17% em agosto e em setembro ficou em 9,59%. Ainda é um percentual grande.

Na pesquisa espontânea (aquele em que não é oferecido nomes) o senador Wellington Dias tem 29,02% das intenções e Zé Filho aparece com 15,04%. Os eleitores que responderam que não sabem ou preferiram não opinar em quem votar na pesquisa espontânea somaram 43,10%.

Wellington e Zé Filho tem pouca diferença na rejeição

Mão Santa é o mais rejeitado com 27,53%, Zé Filho aparece em seguida com rejeição de 17,68% do eleitorado. Wellington Dias é o menos rejeitado com 13,02%. A candidata Loudes Melo é rejeitada por 15,04% dos eleitores. Neto Sambaíba tem 14,34% de rejeição. Maklandel Aquino é rejeitado por 13,1%. Os eleitores que não sabem ou não quiseram opinar em quem rejeitam para governador somaram 16,62%. Os que responderam que votariam em branco ou nulo são 3,43%. E os que responderam que não rejeitam ninguém somaram 10,64%.

Prefeitos já falam em nomes para articulação do 2º turno

09/09/2014 - 18:15

288a348075_media

Prefeitos que apoiam a candidatura do governador Zé Filho (PMDB) a reeleição já estão defendendo como deverá funcionar a articulação política do segundo turno. A tese, defendida por prefeitos da região do Médio Parnaíba e alguns da Sul do Estado, é de que no segundo turno o ex-governador Wilson Martins (PSB) passe a ser o cabeça da articulação política da campanha de Zé Filho. A  favor da tese, os prefeitos alegam que sendo eleito e com sua bancada de deputados federais e estaduais eleita Wilson poderá se dedicar e costurar acordos mais favoráveis a Zé Filho.

Só alguma questões primeiras antes que esse tese seja vitoriosa;apoiadores que são de Wilson os prefeitos já estão contando com a vitória do ex-governador pro Senado. Em se concretizando realmente essa vitória estará Wilson Martins tão comprometido quanto no primeiro turno? Outra coisa, tendo sido cotado para participar da campanha nacional, com a ida de Marina Silva (PSB) ao segundo turno na disputa pela presidência, não ficará comprometido o tempo de dedicação de Wilson?

Fábio novo herda apoios de Rejane Dias

09/09/2014 - 16:45

DSC_0152.2

Com a candidatura à Câmara dos Deputados da deputada estadual Rejane Dias (PT), um de seus principais colégios eleitorais foi herdado pelo deputado Fábio Novo (PT) que concorre a reeleição na Assembleia Legislativa do Estado.  Fábio Novo ficou com o apoio do prefeito, Gil Carlos (PT), da cidade de São João do Piauí, terra natal de Rejane Dias. O parlamentar inaugurou ontem comitê na cidade.

Embora negada, a divisão dos colégios eleitorais da deputada Rejane Dias tem causado incômodo na base. As dobradinhas entre federal e estadual dentro do PT estariam sendo o motivo de discórdia. A exemplo do deputado Cícero Magalhães (PT) que recentemente questionou e reclamou que os seus maiores adversários estariam dentro do próprio partido, ante ao avanço dentro dos colégios eleitorais.

Nada como um espelho às vésperas da eleição

09/09/2014 - 06:56

 

PT-rachado blog elisabeth sá

 

Contra Lula era terrorismo, contra Marina é análise profunda, debate franco, entre outras palavras para justificar todos os questionamentos (necessários, frise-se) levados à candidatura do PSB e o futuro do Brasil.

Com o PT literalmente rachado, em função das sucessivas denúncias e impaciência popular, é preciso reavaliar o discurso sob pena de desconstruir a bela trajetória da sigla.

Já foi dito neste blog em outra oportunidade, mas vale repetir: o PT, o Partido dos Trabalhadores não pode mais fazer um discurso de vítima, de coitadinho. Não lhe cabe mais. Fica até feio.

Vergonha alheia de atitudes como esta é um termo recorrente quando se assiste a tentativa de petistas ao acusarem os adversários de plantarem informações, forjarem escândalos e pregarem a teoria da conspiração.

Muito mais centrado e inteligente partir pra cima e defender um modelo de gestão, como fez a presidenta Dilma Rousseff, com base em dados, e projetar ações futuras como os reais motivos para os eleitores votarem nela.

Muito mais digno e honesto reconhecer que, como em todas as esferas da sociedade, algum integrante do PT pode cometer erros ou ter cometidos erros como fez o ex-presidente Lula. E estes devem ser cobrados e punidos, sem que toda retórica do partido seja arrastada junto para a a lama.