Ação do PT suspende instituto de pesquisa

25/09/2014 - 15:49

daniel oliveira advogado coligação a vitoria com a força do povo

A Justiça deferiu o pedido de liminar suspendendo as pesquisas do Instituto Credibilidade. A ação foi movida pelo advogado da coligação “A Vitória com a Força do Povo” , Daniel Oliveira. Com a decisão o Instituto Credibilidade fica proibido de realizar e divulgar pesquisas. Entre as alegações está a de que o Instituto estaria fazendo uso eleitoreiro das pesquisas e que não há regularização do mesmo junto ao Conselho Regional de A liminar foi concedida pelo desembargador José James Pereira.

Coluna do dia – José Martinho e a nova versão sobre o caso dos R$ 180 mil

25/09/2014 - 12:18

 

martinho 180 mil wellington dias

 

José Martinho e a nova versão sobre o caso dos R$ 180 mil

Ainda sobre as declarações prestadas por José Martinho, primo e motorista de Wellington Dias pego com R$ 180 mil escondidos em seu carro vale o registro de outra análise sobre a decisão dele de falar para a imprensa (Tv Cidade Verde e Tv Meio Norte) em que ele explica a origem do dinheiro apreendido pela Polícia Rodoviária Federal, na divisa do Piauí com a Bahia.

Levando em consideração que o delegado Francisco Carlos de Sá – da Bahia – não mentiu ao dizer que José Martinho não sabia explicar a origem do dinheiro, quando pego em flagrante com o montante escondido, e só foi  porque o rapaz que conduzia o carro estava com uma habilitação falsa, uma grande dúvida se abre sobre a nova versão apresentada por Martinho.

Até porque a revelação aconteceu exatamente na véspera (ontem) do debate que a Tv Cidade Verde promove nesta quinta, dia 25 setembro. E de todos os demais embates entre os candidatos a governador nesta reta final da campanha.

Vale ressaltar, ainda, que não foi um furo de reportagem, nem da Cidade Verde, nem da Meio Norte. Foi tudo combinado e previamente negociado entre as emissoras com o advogado e o próprio José Martinho.

Indiscutivelmente, Wellington Dias chegará para o confronto com uma não,  duas cartas na mão. Até porque, como já foi lançado e lembrado publicamente, bem como está previsto em Lei, cabe a quem acusa apresentar prova ou provas.

 

O direito de perguntar

A dúvida levantada pelo blog com relação à nova versão de José Martinho sobre a origem dos R$ 180 mil apreendidos em seu veículo é reforçada pela iniciativa da assessoria jurídica do candidato Wellington Dias que, diante do novo testemunho, já têm pronta ação a ser apresentada na Justiça. Em seu conteúdo, a medida pede para que o assunto (180 mil reais) não seja abordado pelos adversários nos próximos debates na Tv.

O senador Wellington Dias, até hoje, ainda não tinha decidido se vai apresentar a peça jurídica na tentativa de garantir uma liminar. E deve refletir mesmo. Até porque a história ainda não “pegou” nele, mas se tentar fugir do assunto poderá passar um recibo em branco para os adversários.

É coisa do tipo se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

 

Ministério Público Federal do Piauí vai acompanhar caso dos R$ 180 mil

Em toda essa história do funcionário do Senado, que é primo e motorista de Wellington Dias, tem uma certeza. O caso está, sim, sendo levantado como suspeita de crime eleitoral. Tanto que o procurador Kelston Lages informou, ontem, que a Procuradoria Regional Eleitoral no Piauí instaurou um procedimento para apurar e investigar o caso que foi distribuído e está sob a responsabilidade do procurador eleitoral Marco Aurélio Adão.

Ainda não está claro qual procedimento. E, aí, talvez seja o grande lance a ser confrontado entre os candidatos nesta reta final da campanha.

 

Terceiro turno garantido

Outra coisa também já é certa. O terceiro turno, o jurídico, já está garantido e antecipado. Desde o início do pleito são muitas as ações – de um lado e de outro – que mais judicializam do que contribuem para o processo.

Neste episódio dos 180 mil reais, pegos com o motorista de Wellington Dias, por exemplo, o placar já está de 1×0 para o senador petista.

É que a assessoria jurídica do índio conseguiu veicular no facebook do governador Zé Filho, através de Direito de Resposta, que “o PT defende a ética na política e que Wellington Dias não possui qualquer condenação por utilização indevida dos servidores do Senado Federal”.

 

A grande família

O ex-governador Wilson Martins tem enfrentado uma grande provação nesta reta final da campanha eleitoral. E não é por outro motivo que não a rejeição ao fato de ter  um irmão e um sobrinho candidatos.

Já pensou se, no final das contas, todos se elegerem e ele não ? Aí é o que pode se chamar que o feitiço virou contra o feiticeiro.

 

Kléber, Avelino e a caçada aos culpados

24/09/2014 - 17:54

Avelino Neiva blog elisabeth sá

Não tinha pior hora para os homens fortes da campanha do governador Zé Filho (PMDB) resolverem se entender através da imprensa. O prefeito de Picos, Kleber Eulálio (PMDB) respondeu aos comentários de que o seu apoio em Picos não estaria elevando a candidatura do governador a reeleição e se justificou atacando o Governo. Afirmou que há obras paradas e que o próprio governador não andou em Picos.

Não seria o momento de falar nas obras que foram concluídas, como a obra da Uespi, do que enfatizar as que não foram concluídas?

Avelino Neiva procura responder Kléber e coloca ainda mais lenha na fogueira queimando o governador, pois afirmar que é melhor que o prefeito de Picos (um dos maiores colégios eleitorais do Estado) passe logo para o lado do senador Wellington Dias  nada mais é que concluir a fritura.

E, se fosse assim,  Avelino deveria ser questionado no motivo do nome de Zé Filho não ser o primeiro colocado em sua terra, onde o filho, o deputado estadual Gustavo Neiva (PSB) tem ampla maioria.

Para quem analisa a questão fica a impressão de que os aliados do governador já começam a procurar as saídas honrosas e os culpados de um fracasso que ainda nem se confirmou.

Dilma cresce,mas Vox Populi destoa da realidade

24/09/2014 - 17:27

Dilma na globo bom dia brasil blog elisabeth sá

As pesquisas eleitorais que vem sendo divulgadas pelo Ibope e Data Folha, desde a morte de Eduardo Campos, tem apresentado números semelhantes. As duas últimas pesquisas divulgadas também apresentaram quadros parecidos. E, embora cada instituto de pesquisa  tenha seus métodos, chama atenção como os números do Vox Populi destoam dos demais institutos.

A Pesquisa Ibope divulgada ontem mostra a presidenta Dilma Rousseff (PT) com 38% das intenções de voto, Marina Silva (PSB) com 29% e Aécio Neves com 19%. Pastor Everaldo (PSC) tem 1%. Os demais candidatos não atingiram 1%. E na última pesquisa Datafolha, Dilma aparece 37%, Marina, 30%, e Aécio, 17%, aponta.

Já para o Vox Populi a presidenta possui 40% das intenções de voto, contra 22% da ex-senadora e Aécio Neves tem 17%. A queda de Marina ocorreu, isto é fato, mas o blog não vê nenhum fato que justifique uma queda tão brusca a ponto de Marina fica apenas com metade das intenções de voto em relação a presidenta.

Tal situação só seria justificada se um fato desconstrutivo, como a descoberta ou confirmação de um escândalo envolvendo o nome de Marina Silva, o que não ocorreu. E, mesmo que as investidas do PT e PSDB para desconstruir a imagem da adversária terem alcançado certo êxito, nada justifica o número do Vox Populi.

Primo de W. Dias diz que R$ 180 mil foi da venda de sua loja

24/09/2014 - 14:46

wellington Dias blog elisabeth sa

O blog afirmou hoje sobre o “esfriamento” do caso dos 180 mil. O caso esfriou mesmo entre a população e o “time” da polêmica já se perdeu. Muito mais por conta da falta de articulação política para que o fato pudesse ser usado em favor da campanha do governador Zé Filho.

Ainda assim, no seu programa eleitoral que foi ao ar nesta terça, dia 24 de setembro, o governador Zé Filho (PMDB) bate na tecla de que o senador Wellington Dias precisa explicar a origem do dinheiro.

A resposta veio do próprio José Martinho, o primo e motorista do senador, que falou hoje pela primeira vez sobre os R$180 mil encontrados no seu carro após abordagem da Polícia Rodoviária Federal.  Ele concedeu entrevista à TV Cidade Verde e disse que o dinheiro foi fruto da venda de uma loja pelo qual recebeu parte do pagamento em dinheiro e a outra parte em cheque. Não apresentou o cheque para preservar a outra parte envolvida no negócio.

Dois pontos a serem analisados: o primeiro é a decisão de falar e o momento em que a justificativa é apresentada à sociedade.

A primeira, claro, para tentar preservar o senador que é candidato ao Governo. A informação dada por José Martinho sobre a fonte dos recursos – a venda de um imóvel – era o argumento que faltava para que a defesa de Wellington Dias ficasse completa.

E a segunda, sobre o momento, a poucos dias das eleições, quando pouco ou quase nada no que dito pode ser rebatido, investigado. Restam pouquíssimos (menos de cinco) programas a serem exibidos no horário eleitoral gratuito.

Coluna do dia – Os 180 mil não “colaram“ em Wellington Dias

24/09/2014 - 07:19

Dinheiro-Campanha-de-Wellington-palio-weekend-placa-jhu-5627-blog-elisabeth-sá

 

Os 180 mil não “colaram“ em Wellington Dias

Já pensou se o carro de um primo de Zé Filho fosse pego com 180 mil reais? Já pensou se no rastro desse dinheiro fosse detectada uma fonte muito próxima com indicação do governador para o cargo federal? O blog responde: não sobraria um caquinho de Zé Filho pra contar a história.

O PT, seus filiados, a militância aguerrida e seus bravos políticos defensores do projeto já teriam, literalmente, detonado a imagem do governador Zé Filho que se mantém bem avaliada, neutra, quando o assunto é corrupção. E se mantém assim pelo único fato de ser desconhecido da maioria dos piauienses e nunca ter participado diretamente de maiores embates, polêmicas e até de administrações dos seus aliados que o antecederam.

Com Wellington Dias, que não tem o “azar” do deputado federal Assis Carvalho, nada cola. A imagem do senador é de um político sério, bonzinho e boa praça, amigão de todos.  Por isso, nem adianta mais insistir na história do dinheiro encontrado com o primo e motorista do senador Wellington Dias.

Com uma equipe de marketing super, ultra, mega eficiente, o homem ainda conseguiu foi reverter a história e sair de vítima! Aliás, nisso, Wellington Dias, é imbatível. Mas, frise-se, é o único dentro do PT que ainda consegue este feito.

 

A história esfriou

A verdade é que o caso do carro de José Martinho, primo e funcionário de Wellington Dias, apreendido com 180 mil reais “esfriou”.  E quando se pergunta sobre o episódio a resposta vem de pronto com algo do tipo: “Ah, não vai dar em nada essa história”.

Tanto que, pouca gente sabe, mas José Martinho preferiu perder toda a dinheirama, mas não entregou a fonte dos recursos. Fonte essa que ele chegou a levantar que seria de um negócio da família.

 

O rastro do dinheiro, parte 3

A menos que se tenha uma “novidade”, um fato novo, dificilmente o flagrante dos 180 mil reais irá repercutir no resultado das eleições que se aproximam.

Até porque, como o caso foi enviado ao Ministério Público Federal, o prazo para conclusão das investigações chega a 90 dias, ou seja, algo em torno de três meses.

 

Atolado no asfalto

O deputado Cícero Magalhães nunca foi fã do ex-governador Wilson Martins. Muito pelo contrário. Quando o PT, seu partido estava locupletado e bem satisfeito na administração de Wilson, ele fora o único a não participar da lambança.

Agora, com a situação delicada de Wilson Martins, segundo as pesquisas de intenção de voto, foi o primeiro a se manifestar na tribuna da Assembleia Legislativa e disse que o “trator” está  “atolado no asfalto da avenida Frei Serafim”.

 

RR Tv não colou

Não colou, nem decolou a RR TV. A prometida bombástica Tv on line, que tem como protagonista o deputado Robert Rios, o último grande herói da coligação governista, não foi adiante.

Até a manhã desta quarta, dia 24 de setembro, apenas um episódio está disponível no Youtube e com pouco mais de 300 visualizações no canal.

Justiça se faça, Rios não deve tá tendo tempo para dedicar às gravações. É o primeiro a se postar ao lado de Zé Filho e Wilson Martins em todas as andanças pelo interior do Estado.

 

Os bancários e a greve

Como em todas as eleições, já podem anotar no calendário eleitoral, os bancários prometem iniciar nova paralisação na próxima terça, dia 30 de setembro.

Tal mobilização, que acontece às vésperas das eleições gerais, deixa a todos apreensivos. Impossível não acreditar que tem haver com a pressão exercida pela classe para que a solução seja dada o quanto antes.

Se fizerem um levantamento, a movimentação bancárias nestas duas últimas semanas que antecedem o pleito devem bater meses de atividades nas agências.