Lílian Martins: nomeação volta a ser tema de embate político

02/07/2014 - 12:16

O deputado Cícero Magalhães (PT) foi o primeiro a discursar na sessão de hoje (2) na Assmebleia Legislativa, o tema: decisão do STF sobre a nomeação da ex-deputada Lílian Martins como conselheira do TCE (Tribunal de Contas do Estado). O deputado fez uma espécie de mea culpa e disse que a Assembleia errou ao votar pela escolha da deputada que, à época, era primeira dama do Estado.  O petista disse ainda que a situação serve de lição para que a Assembleia não volte a cometer o mesmo erro.

deputado-cicero-magalhaes

Cícero Magalhães frisou que, “apesar de ser monocrática a decisão tira a conselheira do TCE e eu quero lembrar aqui que não votou nela,votei no meu amigo Arimatéia Dantas. É uma decisão monocrática, mas tenho certeza que quando isso for votado pela corte do STF, a corte vai concordar com o ministro Fux”, disse o deputado.

gustavo neiva blog elisabeth sá

Pela ex-deputada Lílian Martins, respondeu ao discurso do petista o deputado Gustavo Neiva (PSB). “Antes de vir aqui eu tomei o cuidado de consultar advogados sobre o assunto e essa decisão não muda nada, e estará jogando para a plateia quem disser isso. Essa decisão não tem efeito jurídico algum porque o processo já foi concluído. O ministro  apenas se pronunciou sobre uma decisão, mas o efeito jurídico dessa matéria já perdeu seu objeto”, afirma Gustavo Neiva.

Ciro Nogueira quer câmara de ré em carros

02/07/2014 - 10:30

CAE - Comissão de Assuntos Econômicos

 

O senador Ciro Nogueira apresentou projeto de Lei que prevê a obrigatoriedade na instalação de câmeras de ré em veículos fabricados no país. Se aprovada, pelo projeto, passará a valer a partir de 2020. O texto está em análise na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

A proposta do senador piauiense tem por objetivo evitar acidentes com crianças, idosos e pessoas com algum tipo de deficiência e em sua justificativa citou uma pesquisa realizada por um órgão nacional de segurança de trânsito dos Estados Unidos que apontou uma média de 210 mortes por ano no país em razão de atropelamentos com o veículo em marcha à ré.

De acordo com o documento, cerca de 15 mil pessoas ficam feridas anualmente nesse tipo de acidente. Entre as mortes, 26% ocorrem com maiores de 70 anos e 31% atingem crianças menores de 5 anos de idade. Ciro informou também que a obrigatoriedade da câmera de ré já foi aprovada nos Estados Unidos e entrará em vigor no país a partir de 2018.

“Em vários casos as vítimas são atropeladas por membros da própria família, com consequências absolutamente devastadoras para a vida dos envolvidos”, lamentou  o senador afirmando ainda que metade dos acidentes desse tipo poderia ser evitada com a instalação dos equipamentos.

 

 

Wellington Dias aposta na “A Vitória com a força do Povo”

02/07/2014 - 09:08

 

wellington Dias blog elisabeth sa

 

O senador Wellington Dias(PT) segue para a campanha e dá a largada com um sentimento de confiança duplo. O nome da coligação “A vitória com a força do Povo” remete de cara à vitória nas eleições, bem como esta vitória atribuída a quem de fato vota no dia das eleições.

Quem quiser – e não falta gente para isso – também pode encarar como uma provocação. Afinal de contas, Wellington Dias viu mais da metade dos partidos que marchou junto com ele nos últimos anos preferir outro caminho que não fosse o traçado por ele.

O mote tem um apelo comum às campanhas anteriores, não apresenta nenhuma inovação, digamos, no campo do marketing, tem até mesmo mais um apelo pessoal, a cara do candidato. Acredito até que tenha passado diretamente por Wellington Dias a escolha do nome.

Talvez até o nome revele bem mais da estratégia do núcleo de comunicação do candidato Wellington Dias. Esta deverá ser totalmente voltada para o apelo popular, atrelado à figura simples do senador, como homem pobre que chegou lá e não perdeu suas raízes, ficou envaidecido ou mudou seu estilo de vida. Claro, a partir daí as realizações e as promessas de que poderá fazer muito mais.

“A vitória com a força do Povo” é o nome da coligação majoritária que reúne PT/PP/PTB.

Coluna do dia – O palanque eletrônico destas eleições

02/07/2014 - 07:38

 

propaganda eleitoral blog elisabeth sá

 

O palanque eletrônico destas eleições

Pelo alto poder de fogo e capacidade de chegar a um maior número de eleitores, a propaganda eleitoral gratuita é sempre um divisor de águas nas eleições. A mensagem repassada, o tempo e a qualidade do material apresentado no rádio e televisão têm um efeito imediato sob o eleitorado. É o chamado palanque eletrônico que pode levantar ou derrubar de vez uma candidatura. O conteúdo e o padrão repercutem de forma tal que é possível dizer “quem está para ganhar ou só para constar”. Pois bem, no plano federal , a presidenta Dilma conseguiu reunir um maior número de partidos e o seu tempo será maior do que o que ela tinha em 2010. O mesmo acontecerá em solo piauiense com o governador Zé Filho. Por ter arregimentado incríveis 18 partidos (Wellington quando foi para a reeleição ficou com 5 partidos e Wilson com 8 siglas aliadas), a aliança governista terá quase o dobro do principal adversário. Zé Filho fica cerca de 12 minutos e Wellington Dias um pouco mais de 6 minutos.

 

O tempo de Dilma

A presidenta Dilma Rousseff abre o palanque eletrônico com uma grande vantagem. Terá 11 minutos e 25 segundos em cada bloco de propaganda eleitoral – 47 segundos a mais do que teve em 2010. A coalizão governista é apoiada por PMDB, PDT, PP, PR, PC do B, Pros e PRB.

 

Aécio tem menos que Serra

O senador Aécio Neves está bem na fita e figura como um adversário em potencial. Mas, larga a uma distância mortal de Dilma. Terá quatro minutos e 36 segundos de tempo eleitoral. O PSDB perdeu tempo em relação à campanha presidencial de José Serra, em 2010, quando tinha sete minutos. Aécio tem apoio do PTB, Solidariedade, DEM, PTC, PT do B e PMN.

 

Campos não vai ter tempo

O socialista Eduardo Campos segue para a campanha com dois minutos e quatro segundos na propaganda eleitoral. Por melhor que seja o seu marketing, não terá como dizer pra que veio. Em 2010, a então candidata do PV à Presidência e hoje vice de Campos, Marina Silva, teve um minuto e 26 segundos. Além do PPS, apoiarão Campos duas siglas nanicas: o PRP e o PHS

 

Correndo atrás do prejuízo

Entre os peemedebistas, o afastamento do deputado federal Marcelo Castro tem mais um motivo para acontecer. É que, depois da liberação das bases, outros políticos como o ex-senador Heráclito Fortes(PSD), a deputada Iracema Portela(PP), o ex-deputado Flávio Nogueira(PDT), todos candidato a uma vaga na Câmara Federal, ficaram com antigas lideranças suas.

Castro tem encontrado resistência para recompor a sua rica base eleitoral. E, a esta altura do campeonato, é o que mais deve doer no parlamentar.

 

Enquanto isso…

O secretário de administração e ex-ministro João Henrique Sousa está em Brasília. Conversa com pessoalmente com o vice-presidente Michel Temer.

Vai acalmar os ânimos e explicar o porquê da predileção de Zé Filho ao candidato Aécio Neves.

 

Não mais

A ex-deputada federal Mirian Nogueira não será mais suplente do ex-governador Wilson Martins. Também ninguém disse o motivo. Mas não é tão difícil assim de imaginar.

 

Ato final

O Ministro Joaquim Barbosa deixa o Supremo Tribunal Federal de “alma leve” e com o sentimento de dever cumprido. Entrou para a história por vários quesitos inusitados, mas com certeza será lembrado pelo mais longo julgamento daquele poder. O rumuroso caso do mensalão que levou à condenação e prisão de 11 políticos. Entre eles, ex-ministros poderosos como José Dirceu e José Genoíno, ambos do PT.

Debandada petebista para Wilson continua

01/07/2014 - 18:37

Mais um prefeito do PTB aderiu a candidatura de Wilson Martins ao Senado. O prefeito de Alto Longá, Flávio de Teté  esteve no escritório político de Wilson Martins nesta tarde. Na última contagem do blog, 21 dos 41 prefeitos eleitos pelo PTB em 2012 já estavam fechados com o ex-governador, agora são 22.

IMG-20140701-WA0002

A surpresa é que a esta altura, com convenção realizada e acordos viabilizados não era mais esperado que prefeitos de um lado passassem a apoiar o outro, mas parece que a debandada petebista continua, e Wilson Martins não é nem bobo de dizer não, sabe que o apoio dos prefeitos é indispensável em qualquer campanha, e quando se trata do Senado, essa importância é considerável.

O deputado Wilson Brandão (PSB), devido a compromissos de agenda política não participou ontem à noite da inauguração das novas instalações da TV Assembleia. Hoje chega com o prefeito no escritório de Wilson Martins. Será que a adesão foi fruto de articulação de Brandão? Até o dia sete de outubro vai complicar para um dos lados se a cada viagem pro interior que um deputado fizer voltar com um prefeito para aderir a campanha.

Decisão do STF faz campanhas avançarem

01/07/2014 - 18:01

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) proferida, nesta manhã, não mexeu apenas com a formação das coligações partidárias. Os comitês de campanhas eleitorais finalmente puderam começar a trabalhar efetivamente e colocar a mão na massa.

O foco das duas campanhas, tanto do PMDB como do PT, neste momento está voltado para a comunicação. Dos dois lados foram realizadas reuniões com a participação das lideranças políticas para a definição de coordenações de campanha, melhores nomes para as coligações e outras ações que irão a partir de agora definir como deverão se comportar os candidatos.

Do lado do Wellington Dias a definição do nome da coligação ficou a cargo dos petistas e deverá ser divulgado hoje. Do lado do governador Zé Filho, onde pesava mais a indecisão com relação a quantidade de vagas para deputados, apenas o nome da coligação proporcional foi definido, será “Piauí no Coração” para as três coligações de partidos que foram formadas. Vale lembrar que do lado do governador Zé Filho são 18 partidos.