PCdoB convoca Osmar para explicar alianças

21/06/2014 - 14:00
Além de não apoiar o PT, aliado do PSDB

Osmar:além de não apoiar o PT vira  aliado do PSDB

O deputado federal Osmar Junior foi chamado em São Paulo, neste fim de semana, para uma reunião com a cúpula do partido. O PCdoB quer saber do parlamentar o cenário real da política no Piauí. E o porquê de não apoiar o senador Wellington Dias, pré-candidato do PT. Até a convenção é pressão de todo jeito. Até aí tudo bem, a situação pode ficar difícil mesmo é na hora de explicar que além de não apoiar o petista o PCdoB estará em uma coligação dom os tucanos.

Na outra ponta, a informação é de que o Partido Verde, aliado antigo dos tucanos na capital, poderá votar em Zé Filho. Candidato a senador, Elmano Ferrer, foi escalado para segurar o primeiro efeito da aliança entre tucanos e peemedebistas. Os verdes foram muito bem tratados enquanto o vein estava no Palácio da Cidade.

Wellington Dias em clima de festa na convenção do PT

21/06/2014 - 13:12

IMG-20140621-WA0011convenção que homologa hoje a candidatura a reeleição da presidenta Dilma Roussef acontece em clima de festa. A convenção do PT acontece desde às 9 horas no Centro de Eventos Brasil em  Brasília (DF). Foram participar apenas os delegados do partido, além do senador Wellington Dias a deputada Rejane e Regina Sousa também marcam presença.

IMG-20140621-WA0005

Não alheios aos últimos fatos da política do Piauí e é em clima de festa que o senador Wellington Dias diz que espera também que ocorra a convenção que vai homologar sua candidatura na próxima sexta-feira (27).  Para alguns petistas a campanha do senador Wellington Dias de volta ao palácio de Karnak não está ganha, mas recebe reforço com o apoio declarado do governador Zé Filho ao senador mineiro Aécio Neves (PSDB). O motivo para isso é que o partido acredita que o movimento esperado pelo povo não é o de mudança, mas sim o de continuidade nos projetos que o PT representa, por isso a ruptura do Governo do Piauí com este projeto é boa para o senador Wellington. IMG-20140621-WA0012

“Será mais um lançamento oficial para cumprir a lei, num momento de  congregação de todas as forcas política dos 224 municípios, onde vamos apresentar as diretrizes para programa do governo, com destaque para o nosso compromisso com o desenvolvimento social e econômico do nosso Piauí com sustentabilidade, e a nossa chapa”, afirma o senador sobre o dia 27.

 

PT do Piauí está dividido

21/06/2014 - 12:30

Uma divisão salutar marca o final de semana do PT piauiense. Os petistas se dividiram em dois grupos, um com a missão de ir ao interior ter com as lideranças e o outro de participar da convenção nacional. Estão na convenção nacional do partido o senador Wellington Dias, a presidente do partido no Piauí, Regina Sousa, e a ex-deputada Flora Izabel e a deputada Rejane Dias.

 regina-sousa

Já o deputado Fábio Novo e outras lideranças do partido seguiram para o interior. A estratégia é se dividir para dar maior atenção possível as questões do partido, tanto local como nacionalmente. Fábio Novo tem agenda na cidade de Picos, onde o PT participa da administração com o vice-prefeito. Além de Picos, Fábio Novo, tem agenda em outros 10 municípios.

Na luta tucana pelo Nordeste, palanque no Piauí será crucial

21/06/2014 - 12:00
Aécio recebe apoio importante na luta pelo Nordeste

Aécio recebe apoio importante na luta pelo Nordeste

Aécio Neves como foi dito aqui tem anunciado o programa “Novo Nordeste” como forma de atenuar a imagem ainda persistente de “preconceito” dos políticos da região sul/sudeste contra o Nordeste. A estratégia do tucano é minar o principal reduto eleitoral da presidenta Dilma. Neste caso ganhar o palanque governista no Piauí foi de suma importância. Entre os estados do Nordeste é inegável a aceitação do Piauí em relação a era petista no Governo Federal.

A tarefa de Aécio Neves ao lado do governador Zé Filho será árdua. Não por menos, pois o “caso de amor” ente o Piauí e a gestão do PT começou com o presidente Lula e é freqüente como tese de defesa que nenhum outro presidente deu tanta atenção ao Estado. Dilma seguiu pelo mesmo caminho, pelo menos em visitas ao Piauí nenhuma outra gestão nacional foi tão presente. O que tucanos e peemedebistas terão de provar agora é que tantas visitas pouco renderam ao Estado. Do lado do PT os números já estão prontos, alerta o deputado Fábio Novo (PT). E repete a máxima “contra fatos não há argumentos”. O que nos resta é esperar.

Zé Filho não escolheu, foi empurrado para Aécio

21/06/2014 - 10:10

empurrado-para-seguro-saudeNão foi bem uma escolha. É o que avaliam os mais próximos. Zé Filho foi, literalmente, empurrado para Aécio Neves. Os leitores do blog terão como avaliar a situação. Além das queixas já publicadas aqui com relação ao tratamento dispensado pelo Governo Federal ao Piauí, e reveladas pelo governador como principal motivo para o rompimento, um episódio em especial foi crucial para a decisão tomada: a vinda de Lula ao Piauí. Ao anunciar sua decisão, Zé Filho lembrou que, quando Tancredo Neves foi candidato a presidente, o Piauí se posicionou como o primeiro apoio na região nordeste.

O vice-presidente Michel Temer ainda ligou para Lula e ao telefone pediu que fosse dado um momento na agenda para o governador Zé Filho na condição de aliados. Foi ignorado. A retaliação partiu do PT que, como em eleições anteriores, não queria dividir a imagem de Lula.Teve outro episódio, ainda, que piorou muito a relação. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, veio ao Piauí e não avisou ao Palácio de Karnak. O ministro da saúde, Arthur Chioro, também vinha sem o conhecimento do governador. O recado foi entendido.

A culpa é do Senado

Ainda não foi dito publicamente, mas podem esperar. Zé Filho vai colocar a responsabilidade do “tratamento discriminatório” do Governo Federal com o Piauí no colo dos três senadores – Wellington Dias, Ciro Nogueira e João Vicente Claudino. Zé Filho surpreendeu até mesmo os petistas que, nos últimos anos, se acostumaram a rivalizar o palanque do PT e disputar o espólio eleitoral do ex-presidente Lula. Para quem não sabe, segundo pesquisas qualitativas, Lula é capaz de transferir até 30% para o candidatos que abraçar e for reconhecido como tal.

Nordeste: repasse do agricultor familiar é 120 vezes menor

21/06/2014 - 09:00

pronaf_ilustraçãoUma proposta do senador Ciro Nogueira (PP), que está pronta para se votada na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, determina que os recursos previstos no orçamento da União para implantação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais sejam distribuídos proporcionalmente ao número de estabelecimentos de agricultura familiar ou de empreendimentos familiares rurais existentes em cada estado, conforme dados do Censo Agropecuário.

Segundo o senador, quando se considera a distribuição dos recursos do Pronaf tendo como parâmetro a quantidade de estabelecimentos de agricultura familiar, a média apurada varia de R$ 895,00, em Alagoas, a R$ 10.086,00, em Santa Catarina, uma variação superior a 1.000%. Em termos absolutos, a diferença entre Rio Grande do Sul (R$ 3 bilhões) e Roraima ou Amapá (R$ 25 milhões) é de 120 vezes.

Relator da matéria na CAE, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) é favorável à iniciativa. Ele diz que, entre 2000 e 2007, o maior número de agricultores familiares se concentrava na Região Nordeste, ao passo que a Região Sul foi a que obteve a maioria dos contratos e recursos do Pronaf.