Zé Filho fecha com PSB e marca convenção dia 29

06/06/2014 - 13:18

O governador Zé Filho assumiu, em definitivo, o comando da sucessão dentro de casa. Saiu da reunião com o PMDB com a data da convenção marcada para o dia 29 de junho. De lá seguiu para encontro com lideranças do PSB, onde obteve todas as garantias de reedição da aliança firmada ainda em 2010.

Zé Filho conseguiu de Wilson Martins um compromisso público de que, além do apoio, vai atuar como bombeiro, conciliador, o que seja, para atenuar a crise instalada desde a saída de Marcelo Castro da disputa.

A principal missão do PSB será resgatar o PSDB para a chapa majoritária da situação. E a palavra chave é “paciência”.

Convenção do PT e aliados marcada para dia 27

06/06/2014 - 12:47

Já tem data a convenção que levantará a bandeira da oposição no Piauí. O nome de Wellington Dias será homologado, próximo dia 27, às 15hs, no Atlantic City.

A aliança ainda não tem nome e ainda aguarda a definição de outras siglas para acertar detalhes da coligação, sobretudo, no que diz respeito à coligação proporcional.

 

Além do PT, já estão confirmados na coligação o Partido Progressista, do senador Ciro Nogueira, que indicou a deputada Margarete Coelho para Vice. E o PTB do senador João Vicente Claudino, candidato à reeleição.

Marcelo falta reunião do PMDB

06/06/2014 - 11:57

Ao contrário do que fora divulgado e esperavam  seus correligionários – pelo menos alguns – o deputado federal Marcelo Castro não compareceu ao evento do PMDB, na manhã desta sexta, dia 06 de junho, que consolida a indicação do governador Zé Filho para encabeçar a chapa da situação nas eleições de outubro próximo.

Marcelo Castro avisou aos mais próximos que marcou uma viagem ao interior do Estado. Mais precisamente na região sul. Por lá deve permanecer no final de semana. O deputado evitou este primeiro encontro, claro, porque ainda se ressente da troca. Entre os pares, a reação é tida como  normal.

Apuramos que ainda não houve nenhum gesto, nem da parte do governador Zé Filho, nem de Marcelo Castro, para amenizar a situação. Também não foi escalado nenhum interlocutor.

 

 

Coluna do Dia

06/06/2014 - 09:24

imageA queixa dos tucanos

Já se sabe porque a bancada tucana resolveu abraçar, pelo menos até o prazo limite das convenções, a pré-candidatura de Sílvio Mendes. Foi maltrato. Segundo o deputado Marden Meneses, desde que teve início o Governo Zé Filho, o PSDB chegou ao Governo, mas não foi Governo.

 

“Adoro o Zé Filho, a deputada Juliana, mas fomos maltratados demais em todos os sentidos, nestes dois meses, inclusive nas pastas que assumimos”, disse ao blog. Marden só fez um pedido: amenizar a palavra a qual se referiu sobre o tratamento dispensado pelo Palácio de Karnak aos tucanos. Foi atendido.

 

 

Primeira conversa

Foi melhor do que esperavam. A primeira conversa entre Mão Santa(PSC) e Sílvio Mendes(PSDB) aconteceu em tom amistoso e pode render bons frutos. Por enquanto, nada decidido. Apenas estão avaliando se estão com os mesmos propósitos, se têm adversários em comum e como se comportariam num eventual segundo turno.

 

Em resumo, Mão Santa foi até Sílvio para sondar a possibilidade dele compor com ele sendo cabeça de chapa. O tucano quer saber se o ex-senador é capaz de apoiá-lo, mesmo tendo um sobrinho no pleito.

 

 

Tucanos encomendaram pesquisa

Mesmo sem que nenhum outro partido considere a candidatura de Sílvio Mendes, além dos próprios tucanos, o ninho está em compasso de espera. Acreditam que na próxima sondagem o ex-prefeito aparecerá com uma vantagem enorme.

 

Tão significativa que poderá convencer os ex-aliados que já se decidiram pelo PMDB a reavaliarem a sua conduta no pleito de outubro próximo.

 

image

Marcelo Castro contra aliança PT-PMDB

O jornalista Cláudio Humberto, um dos maiores colunistas do país, diz hoje que o deputado federal Marcelo Castro foi enquadrado pelo vice-presidente Michel Temer. E este o teria convencido a sair da disputa em favor do governador Zé Filho.

O troco de Castro, de acordo com a publicação: “entrou numa campanha aberta contra a reedição da aliança com o PT de Dilma”.

 

 

Bastidores

Pode até não ser verídica a informação. Dificilmente o vice-presidente Michel Temer cometeria uma indelicadeza destas com um colega de partido, seu conhecido há muitos anos. Mas, é fato. Verdade, verdadeira que há duas semanas teve um jantar no Palácio do Jaburu que consolidou o apoio do PMDB à presidenta Dilma Rousseff e consolidou o nome de Temer na reedição da chapa governista para as eleições. Na ocasião, se faziam presentes tanto o governador Zé Filho como o deputado Marcelo Castro. E não se cumprimentaram

 

E o Dnit?

Não deve proceder esta informação de Cláudio Humberto. Afinal de contas, Marcelo Castro é tutor do Dnit há muito, muito tempo. Mais de uma década, frise-se.

De lá, certamente, não quer ver fora o cunhado Sebastião Ribeiro.

 

Zé Filho espera Firmino

Os deputados estadual Robert Rios(PDT) e federal Júlio César Lima(PSD) são cotados para compor na chapa de Zé Filho à reeleição. O governador não diz que sim, nem que não. É que ainda aguarda, pacientemente, o desenrolar do PSDB e a indicação de um nome do prefeito Firmino Filho para bater o martelo.

Nova pesquisa Datafolha anima tucanos

06/06/2014 - 06:56

A Folha de São Paulo traz nova pesquisa Datafolha, nesta sexta, dia 06 de junho, que dá gás, ânimo e tudo mais que se possa lembrar aos tucanos no Piauí.  Isso porque na avaliação de hoje a presidenta Dilma Roussef, do PT, não vence mais no segundo turno e a diferença no segundo turno, entre ela e o candidato Aécio Neves, também caiu espantosamente. Pode até ser considerada mínima visto que a eleição não começou.

Na pesquisa, a presidenta Dilma cai 3 pontos – de 37% para 34% das intenções de votos. Seus adversários Aécio Neves(PSDB) e Eduardo Campos (PSB) também oscilam para menos, sendo que o tucano sai de 20% para 19% e o socialista de 11% para 7%.  A queda de Campos é ainda maior,  mas o problema se dá no desempenho da candidata do PT que vem acumulando perdas nos últimos quatro meses.

image

 

A diferença entre a soma dos adversários se mantém, desde o início do ano, praticamente a mesma. Só que a presidente Dilma ostentava 44% das intenções em fevereiro, acumulando aí 10 pontos percentuais negativos nos últimos quatros meses. É muito.

E quando se leva em conta o desempenho num provável segundo turno, aí é que tem motivo para tucano ficar emplumado no Piauí, afiando o bico. Há quatro meses Dilma venceria Aécio no placar de 54% a 27%. A pesquisa desta sexta mostra a presidenta com 46% e o tucano com 38%. A conta aí é mais indigesta para os petistas – a diferença caiu de 19 pontos para 8 pontos.

 

Rejeição

De todos os itens avaliados em pesquisas, considero o quesito “rejeição” um dos mais importantes. Na citada pesquisa Datafolha, a presidenta é a candidata mais rejeitada e os dois adversários apresentaram pequena queda. Dilma se mantém com 35% de rejeição e com 29% aparecem empatados  Aécio Neves e Eduardo Campos.
image

Ou tudo ou nada

06/06/2014 - 06:45

marden em silvio mendes blog elisabeth saTucanos seguem firmes na manutenção da candidatura própria. As manifestações de apoio à decisão do ex-prefeito Silvio Mendes não param e pipocam nas redes sociais. Ontem foi a vez do deputado Marden Menezes, que postou foto em seu facebook afirmando que estará com o ex-prefeito onde ele for.

Os deputados do PSDB devem entender os riscos da candidatura própria e sem os devidos apoios, pois os maiores prejudicados seriam eles mesmos. A bancada tucana vem ao longo das eleições perdendo em número Com a candidatura própria, mesmo que se agreguem em torno do PSDB um bom número de pequenos partidos (o que eu não acredito) e com uma legenda alta a bancada dos tucanos corre sério risco.