Marina lidera em São Paulo, mas perde pra Dilma em Pernambuco

29/09/2014 - 10:43

números datafolha nos estados  elisabeth sa

De acordo com a última pesquisa Data Folha, dos sete estados com maior colégio eleitoral e que juntos somam 60% dos votos, em dois deles a diferença entre a presidenta Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) é inferior a cinco pontos percentuais, são eles: Rio de Janeiro e Pernambuco. No primeiro Dilma tem 36% e Marina  36% e no segundo a diferença é de dois pontos, 42% para Dilma e a 40% para Marina.

Em São Paulo, a situação é difícil não só para Dilma, mas para o Partido dos Trabalhadores como um todo. No maior colégio eleitoral do país a, Marina lidera com 34% contra 27% de Dilma. O PT deve tentar recuperar esta diferença em outros estados, especialmente na região Nordeste. Na média Nacional, Dilma segue com 40%, Marina com 27% e Aécio com 18%.

Mesmo a frente no estado de Eduardo Campos, a diferença entre as duas candidatas está dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 3 pontos para mais ou para menos. Chegam frustradas nesta redá final da campanha as expectativas do PSB de que em Pernambuco o nome de Marina tomasse grande fôlego por conta da herança política de Eduardo Campos.

 PT do Piauí segue na contramão do resto do Brasil

26/09/2014 - 17:08

O Piauí tende a fazer movimento inverso ao de outros estados na reformulação do quadro de forças partidárias. Na maioria dos estados onde o Partido dos Trabalhadores  tenta reeleição, embora carregados por Dilma e Lula, os candidatos não emplacaram e amargam segundo ou terceiro lugar na disputa.

wellington Dias e dilma rousseff blog elisabeth sa

No Piauí, ao contrário do Rio Grande do Sul, São Paulo, Bahia, Paraná, Ceará, Rio de Janeiro, Goiás, o Partido dos Trabalhadores não só lidera a disputa com o nome do senador Wellington Dias , como tende a devolver o comando do Estado ao projeto petista. Ou seja, volta depois de quatro anos fora do Palácio de Karnak para um terceiro mandato.

Wellington Dias deixou o segundo mandato para concorrer ao Senado em 2010, a época o partido não conseguiu viabilizar nenhum nome dentro de seu partido que pudesse substitui-lo e disputar a reeleição, até porque tinha Wilson Martins no meio do caminho.

Então, confirmada a tendência das pesquisas e a vitória no primeiro turno, o Piauí não só devolverá o poder ao PT como fará movimento contrário a maioria dos estados, a exemplo da Bahia, que vem de dois governos petistas tende agora a devolver o poder para o DEM, com a vitória de Paulo Souto.

Aliás, o retorno do PT ao poder no Piauí contrariamente aos outros estados, é o mote atual da propaganda do governador Zé Filho.

Coluna do dia – Elmano virou um personagem

26/09/2014 - 11:23

 

o vein virou um personagem

 

Elmano virou um personagem

A campanha ao Senado ganhou uma visibilidade, nos últimos dias, do que a própria disputa para o Governo do Estado. Talvez porque muitas lideranças acreditem que a fatia para o Governo já esteja liquidada neste primeiro turno e, com isso, a cadeira do Senado seja a bola da vez no quesito disputa acirrada…enfim, porque ninguém acreditava que a substituição de João Vicente Claudino por Elmano Férrer, lá trás, no início da campanha, fosse resultar em nada e Wilson Martins tinha à época a certeza da vitória nestas eleições.

O fato é que a candidatura do veín tem alguns pontos a serem analisados. O primeiro é que ele vem de uma disputa para a prefeitura de Teresina, há dois anos, em que se consagrou como uma grande e popular liderança da capital. Sua popularidade entre os teresinenses, talvez, seja o grande trunfo desta campanha, pois projetou seu nome para o interior por osmose e como numa reação em cadeia.

O segundo é que Elmano virou um personagem.  Não se pode falar em mito. Mas, personagem está de bom tamanho. Afinal de contas, sua projeção advém de apelido criado para caracterizar sua administração, de apenas dois anos, à frente do Palácio da Cidade.  Uma administração bem avaliada, frise-se, mas que sozinha seria incapaz de levá-lo ao Senado.

E este personagem criado leva uma grande vantagem porque todo mundo gosta e que ser, pretende ser um velhinho  simpático, cheio de disposição e com pique para enfrentar uma maratona destas só no passinho…dançando, literalmente.

 

O único piauiense

O ex-governador Wilson Martins tem feito uma pregação contra o principal adversário, o ex-prefeito Elmano Férrer. E, além de creditar a candidatura do veín ao Grupo Claudino, tem lembrado aos eleitores que ele (Wilson) é o único candidato ao Senado genuinamente piauiense.

A pregação de Wilson Martins no sentido de convencer o eleitor é de que ele construiu uma trajetória política e não foi apenas um jaboti colocado em cima da árvore.

 

Wellington Dias reforça campanha de Zé Filho

O leitor pode até estranhar o título. Mas, é bem isso mesmo. E o blog explica: chegou a informação de que muitas lideranças bateram à porta do senador Wellington Dias na tentativa de aderir nesta reta final da campanha.

Ao analisar bem o custo de algumas adesões frente à opinião pública, Dias preferiu não o anonimato, o apoio velado, mas, isto sim, ignorar os apelos de quem pretendia voltar para o grupo.

 

Zé Filho recebe os “traidores” ou “indecisos”

Faz bem o senador Wellington Dias pedir para os seus aliados colocarem os pés no chão. A rejeição às adesões de última hora tem feito com que “os rejeitados” apontem todas as suas armas, todos os seus cartuchos para a sua candidatura.

Além disso, a movimentação é intensa entre os coordenadores de Zé Filho para atender estas lideranças e receber  “adesões” de última hora, desta última semana.

 

Momentos finais – tudo ou nada

Certos que a eleição se definirá nestes próximos dias, os articuladores da campanha do governador Zé Filho estão em clima de tudo ou nada.

E, mesmo com todas as pesquisas indicando que a campanha será decidida no primeiro turno, ainda é possível ver clima de otimismo entre os partidários do governador.

Aliás, a maioria é capaz de apostar como Zé Filho estará no segundo turno.

 

Valorização do passe

Ninguém desaprende ou deixa a política. Ela, sim, é que deixa o político. Essa premissa vale para o momento em que se vê alguns redutos tradicionais rompendo com seus líderes. Daí a suspeita de “corpo mole” de um lado e argumentos de que os problemas partem do próprio candidato ao Governo, no caso,  o governador Zé Filho.

Agora, se bem lembrassem, porque sabem disso, algumas lideranças estariam empenhadas em levar a eleição para o segundo turno. Pra valorizar o passe, mesmo!

Wilson admite possibilidade de derrota

25/09/2014 - 17:34

Blog Elisabeth Sa Wilson Martins

O candidato ao Senado, Wilson Martins (PSB) concedeu entrevista hoje à TV Cidade Verde. Wilson foi bem claro em suas colocações sobre a disputa com o ex-prefeito de Teresina Elmano Férrer (PTB).

Segundo o próprio Wilson o Piauí corre o risco de eleger um senador que nunca venceu uma eleição para nada no Estado e que na verdade é “filho do seu João Claudino do Paraíba”, ou seja, Wilson admitiu que sua situação está muito complicada.

Desde que as pesquisas do Instituto Amostragem – Meio Norte mostraram o empate técnico entre Wilson e Elmano que as afirmativas do ex-governador Wilson tem sido neste sentido. Em quase todas as suas entrevistas ele cita a ligação entre Elmano Ferrer e o Grupo Claudino.

Ação do PT suspende instituto de pesquisa

25/09/2014 - 15:49

daniel oliveira advogado coligação a vitoria com a força do povo

A Justiça deferiu o pedido de liminar suspendendo as pesquisas do Instituto Credibilidade. A ação foi movida pelo advogado da coligação “A Vitória com a Força do Povo” , Daniel Oliveira. Com a decisão o Instituto Credibilidade fica proibido de realizar e divulgar pesquisas. Entre as alegações está a de que o Instituto estaria fazendo uso eleitoreiro das pesquisas e que não há regularização do mesmo junto ao Conselho Regional de A liminar foi concedida pelo desembargador José James Pereira.

Coluna do dia – José Martinho e a nova versão sobre o caso dos R$ 180 mil

25/09/2014 - 12:18

 

martinho 180 mil wellington dias

 

José Martinho e a nova versão sobre o caso dos R$ 180 mil

Ainda sobre as declarações prestadas por José Martinho, primo e motorista de Wellington Dias pego com R$ 180 mil escondidos em seu carro vale o registro de outra análise sobre a decisão dele de falar para a imprensa (Tv Cidade Verde e Tv Meio Norte) em que ele explica a origem do dinheiro apreendido pela Polícia Rodoviária Federal, na divisa do Piauí com a Bahia.

Levando em consideração que o delegado Francisco Carlos de Sá – da Bahia – não mentiu ao dizer que José Martinho não sabia explicar a origem do dinheiro, quando pego em flagrante com o montante escondido, e só foi  porque o rapaz que conduzia o carro estava com uma habilitação falsa, uma grande dúvida se abre sobre a nova versão apresentada por Martinho.

Até porque a revelação aconteceu exatamente na véspera (ontem) do debate que a Tv Cidade Verde promove nesta quinta, dia 25 setembro. E de todos os demais embates entre os candidatos a governador nesta reta final da campanha.

Vale ressaltar, ainda, que não foi um furo de reportagem, nem da Cidade Verde, nem da Meio Norte. Foi tudo combinado e previamente negociado entre as emissoras com o advogado e o próprio José Martinho.

Indiscutivelmente, Wellington Dias chegará para o confronto com uma não,  duas cartas na mão. Até porque, como já foi lançado e lembrado publicamente, bem como está previsto em Lei, cabe a quem acusa apresentar prova ou provas.

 

O direito de perguntar

A dúvida levantada pelo blog com relação à nova versão de José Martinho sobre a origem dos R$ 180 mil apreendidos em seu veículo é reforçada pela iniciativa da assessoria jurídica do candidato Wellington Dias que, diante do novo testemunho, já têm pronta ação a ser apresentada na Justiça. Em seu conteúdo, a medida pede para que o assunto (180 mil reais) não seja abordado pelos adversários nos próximos debates na Tv.

O senador Wellington Dias, até hoje, ainda não tinha decidido se vai apresentar a peça jurídica na tentativa de garantir uma liminar. E deve refletir mesmo. Até porque a história ainda não “pegou” nele, mas se tentar fugir do assunto poderá passar um recibo em branco para os adversários.

É coisa do tipo se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.

 

Ministério Público Federal do Piauí vai acompanhar caso dos R$ 180 mil

Em toda essa história do funcionário do Senado, que é primo e motorista de Wellington Dias, tem uma certeza. O caso está, sim, sendo levantado como suspeita de crime eleitoral. Tanto que o procurador Kelston Lages informou, ontem, que a Procuradoria Regional Eleitoral no Piauí instaurou um procedimento para apurar e investigar o caso que foi distribuído e está sob a responsabilidade do procurador eleitoral Marco Aurélio Adão.

Ainda não está claro qual procedimento. E, aí, talvez seja o grande lance a ser confrontado entre os candidatos nesta reta final da campanha.

 

Terceiro turno garantido

Outra coisa também já é certa. O terceiro turno, o jurídico, já está garantido e antecipado. Desde o início do pleito são muitas as ações – de um lado e de outro – que mais judicializam do que contribuem para o processo.

Neste episódio dos 180 mil reais, pegos com o motorista de Wellington Dias, por exemplo, o placar já está de 1×0 para o senador petista.

É que a assessoria jurídica do índio conseguiu veicular no facebook do governador Zé Filho, através de Direito de Resposta, que “o PT defende a ética na política e que Wellington Dias não possui qualquer condenação por utilização indevida dos servidores do Senado Federal”.

 

A grande família

O ex-governador Wilson Martins tem enfrentado uma grande provação nesta reta final da campanha eleitoral. E não é por outro motivo que não a rejeição ao fato de ter  um irmão e um sobrinho candidatos.

Já pensou se, no final das contas, todos se elegerem e ele não ? Aí é o que pode se chamar que o feitiço virou contra o feiticeiro.