Coluna do dia – A blindagem de Dilma nas redes sociais

28/08/2014 - 17:07

OPI-002.eps

Há  muito se tem dito aqui que a eleição de 2014 passará, impreterivelmente, pelas redes sociais, internet…enfim, tempos modernos. O atraso no início da campanha de corpo a corpo também colabora com a tese. E as últimas pesquisas de intenção de voto, sobretudo para presidente da República, compram a teoria uma vez que já provocou algumas reações do núcleo do Governo.

Ontem, a presidenta Dilma reuniu-se com todos os presidentes de partidos para traçar e avaliar novas estratégias de campanha. Hoje, a informação é de que os petistas começam a se mobilizar contra o crescimento de Marina Silva e a ordem é defender e divulgar as ações de Dilma nas redes sociais, ambiente reconhecidamente favorável à candidata socialista.

E no Piauí? Aqui, a coordenação da campanha de Wellington Dias estuda a melhor maneira para evitar que a “onda Marina” que abalou a hegemonia de Dilma não resvale, em sequência, na candidatura do companheiro. Afinal de contas, Wellington Dias já foi beneficiado por outra onda, a “onda vermelha”, em 2002, com a primeira candidatura do ex-presidente Lula. Lembram? Pois bem, o pior na política, como em quase tudo na vida, é o efeito rebote.

Na outra ponta, os socialistas alinhados ao ex-governador Wilson Martins só vibram e comemoram com as projeções altamente otimistas. Ao ponto de contar como certo o apoio dos tucanos no segundo turno para derrotar a candidata do PT.

A rejeição ao PT

O blog já tinha estranhado o fato de Wellington Dias, em seu programa eleitoral, pouco ou quase nada falar da candidata Dilma Rousseff. Certamente, segue alguma orientação. A questão é que o ex-presidente Lula, sozinho, não poderá carregar o PT e todos os seus candidatos, sejam do partido ou não. Assim, vão acabar minando a principal fonte eleitoral da sigla. Vão ter que, em algum momento, mostrar o time completo, até mesmo, para garantir o naco de Dilma.

O sinal de que o cenário não era tão favorável ao Partido dos Trabalhadores na política local foi sentido ainda no início do ano. Desconsiderando outros fatores que também influenciaram no processo, o certo é que este impacto começou pelas lideranças políticas que, em sua maioria, rejeitaram marchar ao lado de Wellington Dias, preferindo abrir outras frentes, mesmo com o senador figurando nas pesquisas com ampla maioria nas intenções de voto.

Wellington Dias continua a bater na tecla da segurança

wellington

O senador Wellington Dias tem em mãos pesquisas qualitativas e, certamente, não tem batido na questão da segurança pública gratuitamente. E, como candidato a governador, faz um discurso que, realmente, contempla os anseios da população que está apavorada com tanta violência e, como ele mesmo disse, “clama por segurança”.

“A maior reivindicação do teresinense é por segurança. A população da cidade está apavorada com a onda de assaltos, assassinatos e todo tipo de violência imaginável”, ressaltou Dias.

O danado é que os ataques tem encontrado eco no ex-secretário de segurança Robert Rios, signatário da pasta desde o tempo da gestão petista.

Zé Filho reúne empresários e promete expandir economia piauiense

Candidato à reeleição, Zé Filho agradeceu a todos que participaram do jantar de adesão, ontem, principalmente as lideranças políticas e empresariais que marcaram presença e ouviram do candidato várias promessas e, entre elas, a de expandir a economia piauiense.

“São as indústrias, o comércio e a agricultura que empregam grande parte da população brasileira, temos que ter essa mentalidade, o piauiense merece isso. Queremos só emprego para sustentar nossas famílias, dar uma educação de qualidade, saúde e segurança. Vou lutar para dar isso para cada piauiense se não, não teria sentido ser governador”, disse.

Zé Filho tem mesmo que convencer este setor, mas é nos rincões que precisa ir buscar os votos que lhe faltam e estão com o principal adversário.

Nova pesquisa para Governo

A Tv Antena 10 divulgou há pouco novos números do Instituto Credibilidade em que o senador Wellington Dias lidera com 45% das intenções de voto, seguido de Zé Filho com 30% da preferência e Mão Santa com 6%. Comparado ao levantamento anterior, realizado entre os dias 13 e 15 de agosto, o petista cresceu 0,5% (tinha 44,76%) e Zé Filho 3,97% (tinha 26,03%).

A pesquisa está registrada com o número 0093/2014.

Polícia federal, laudos e campanha

27/08/2014 - 18:55

O deputado federal Assis Carvalho (PT) apresentou hoje (27) laudo da Polícia Federal. No laudo está a conclusão de que não foi encontrada nenhuma evidência de que o incêndio que destruiu o prédio da Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) tenha sido criminoso.

Assis foi rápido em responder com documentos da própria Polícia Federal as insinuações que foram  feitas, ontem, pelo governador Zé Filho, durante debate entre os candidatos a Governo do Estado, mesmo o incêndio tendo ocorrido em 2011.

O blog só não entende porque demorou tanto para divulgar, uma vez que o relatório em questão é do ano passado e quando ele mesmo sabe e já foi vítima nesta eleição das especulações em torno de seu nome e o sinistro.

assis-carvalho

Em tempo, Assis Carvalho deverá se manifestar em breve sobre outro laudo da Polícia Federal em outro caso envolvendo o deputado: no caso de tentativa de homicídio por sabotagem em seu veículo.  Esse laudo não deve demorar tanto tempo para ser expedido, uma vez que já há uma espécie de “pré-relarório” da própria concessionária sobre o acontecido.

Wellington Dias no caminho de volta

27/08/2014 - 16:38

W. Dias

A campanha do senador Wellington Dias (PT) para o Governo do Estado tem feito jus ao ditado “ninguém se perde no caminho de volta”. Dias tem priorizado a campanha pé na estrada e pé no chão, literalmente. Pelo menos nas imagens divulgadas o que se vê é o ex-governador discursando em tamboretes e bancos de praça.

Outra coisa: os encontros em comunidades e reuniões com entidades e organizações tem sido muitos. O caminho de volta no caso se trata da formação política de Wellington Dias, que foi presidente de Sindicato e tem como forte característica o poder do diálogo.

A retomada do diálogo com as bases, que muitos adversários acreditam ser impossível, está sendo fortemente desempenhada na campanha.

Coluna do dia – O Ibope e as eleições no Piauí

27/08/2014 - 12:41

 hjhbhjhjbjbjbjbjbjbj

Quando se ainda imaginava que a pesquisa Datafolha, realizada antes da missa de Sétimo Dia de Eduardo Campos, refletia um momento de dor e compaixão dos brasileiros, o levantamento divulgado, ontem, pelo Ibope, colocou a substituta Marina Silva na condição de segundo lugar, com folga, impondo um dos maiores vexames ao ninho tucano, em se consolidando o cenário, com a terceira colocação e não ida de Aécio Neves para o provável, quase certo, segundo turno.

Os números do Ibope apontam uma queda da favorita Dilma Rousseff (38% para 34%) e queda de Aécio (23% para 19%). O último levantamento do instituto ainda tinha a Eduardo Campos como candidato figurando com parcos 9%, sendo que neste Marina Silva obteve 29% e não só confirmou os números do Datafolha como se posicionou na segunda colocação com uma diferença de 10% em cima do terceiro colocado.

Para o Piauí, como em todo o país, o que resta é aguardar até a próxima pesquisa para ver se este resultado tem consistência e as intenções de voto para Marina Silva estão consolidadas. Mas, o primeiro reflexo já pode ser sentido entre os principais adversários no Estado – Wellington Dias (PT) e Zé Filho (PMDB).

Com relação à Wellington Dias, este já não tinha colado sua imagem à da presidenta Dilma. Prefere Lula, como cabo eleitoral. Mas, deverá repensar na estratégia sob a ameaça de perda da galinha dos ovos de ouro, o Governo Federal.

Já Zé Filho, que não estava numa situação confortável uma vez que seu partido apoia Dilma, deverá não abandonar o barco tucano (até porque estão convictos na recuperação de Aécio), mas rever o seu discurso antes de atrelar sua imagem a quem está caindo nas pesquisas.

Os números do Ibope

O número de indecisos, das pessoas que pretendem votar nulo ou branco também caíram e, pela lógica matemática, migraram para Marina Silva. Agora, o alerta vermelho tocou geral com a informação de que num eventual segundo turno entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a ex-senadora teria 45% e a atual presidente, que tenta a reeleição, 36%.

Avião de Eduardo Campos pago com empresa fantasma

As pessoas podem até não dar a devida importância, esquecerem ou ignorarem por opção. Mas, o período eleitoral é útil também na medida em que se tem a oportunidade de construir vitórias ou desconstruir modelos e padrões. E, sobre este último ponto, toda a artilharia de Dilma Rousseff e Aécio Neves deve se voltar para a candidata Marina Silva, uma real ameaça à polarização tucana e petista que já perdura por mais de duas décadas.

Nesta terça, a informação de que três empresas fantasmas foram utilizadas para bancar, desde maio, o uso da aeronave utilizada pelo ex-candidato Eduardo Campos  e que caiu provocando sua morte no último dia 13 de agosto.

Helicoverpa-armigera5

Lagarta pintada e que queima


Em fevereiro deste ano a Revista Época repercutiu a tristeza e desânimo do setor produtivo.  O problema: dos R$ 370 milhões que o Governo Federal aprovou para a defesa contra doenças animais, apenas R$ 182 milhões haviam sido efetivamente aplicados. O principal alvo do recurso não aplicado: a praga Helicoverpa. O sucateamento das delegacias regionais de agropecuária era também um medo citado pelo setor.

Foi à essa praga que Wellington Dias se referiu, ontem, durante debate na TV Cidade Verde, quando disse prejudica a produção de grãos nos Cerrados. ZéFilho desconhecia o problema e, certamente, Dias também não tinha essa informação do corte de verbas.

Assis Carvalho, o alvo nesta eleição

Primeiro foi a história da sabotagem em seu veículo. Agora, de verdade mesmo estão tentando sabotar a campanha do deputado Assis Carvalho.

Candidato a deputado federal, Afranio Gomes do PSC , deixou de fazer campanha para si para detonar o deputado Assis Carvalho, exibindo no seu horário eleitoral uma matéria que acusa o petista de usar laranjas. No espaço reservado à sua propaganda de ontem (26), o  candidato do partido do ex-senador Mão Santa não apresenta propostas, mas uma do Fantástico protagonizada  pelo deputado Assis.

Robert Rios defende sua gestão como secretário

26/08/2014 - 16:00

robert riosO  deputado estadual, Robert Rios (PDT), ex-secretário de Segurança do Estado, comentou hoje (26) em discurso na tribuna da Assembleia, as afirmações do senador Wellington Dias (PT). Dias afirmou que se for eleito sua primeira medida como governador será pedir auxílio da Força Nacional de Segurança para contar a violência no Piauí.  Robert Rios disse que quando governador Wellington foi avisado por ele Robert, do aumento da violência no Estado e das necessidades de realizar concurso e reestrutura o setor.

“Entrei várias vezes na sala dele, pedi várias vezes a realização de concurso público, ainda hoje tem policial civil formado, concursado esperando para ser chamado. Quando essa violência ainda não tinha chegado ao Piauí eu o avisei que seríamos afetados e que era necessário tomar uma providência urgente. Secretário não assina, secretário só diz que é preciso ser feito, e isso eu fiz”, afirmou Robert.

Deputado Juraci Leite desiste da candidatura

26/08/2014 - 12:04

 

juraci cópia

 

A informação já tinha sido negada pelos mais próximos e pelo próprio deputado Juraci Leite. Mas, é fato que ele não mais tentará renovar seu mandato na Assembleia Legislativa do Piauí. Prestes a completar 83 anos, Juraci chegou a Assembleia em 1983.

“É verdade. Todo mundo já sabe. E os urubus já voaram e pegaram seus colégios eleitorais”, confirmou João Mádison, quando o blog questionou sobre a divisão das bases de Leite. Juraci Leite é o decano da Assembleia Legislativa, com oito mandatos, filiado ao PFL, depois passou pelo DEM e está hoje filiado ao PSD.