Na luta tucana pelo Nordeste, palanque no Piauí será crucial

21/06/2014 - 12:00
Aécio recebe apoio importante na luta pelo Nordeste

Aécio recebe apoio importante na luta pelo Nordeste

Aécio Neves como foi dito aqui tem anunciado o programa “Novo Nordeste” como forma de atenuar a imagem ainda persistente de “preconceito” dos políticos da região sul/sudeste contra o Nordeste. A estratégia do tucano é minar o principal reduto eleitoral da presidenta Dilma. Neste caso ganhar o palanque governista no Piauí foi de suma importância. Entre os estados do Nordeste é inegável a aceitação do Piauí em relação a era petista no Governo Federal.

A tarefa de Aécio Neves ao lado do governador Zé Filho será árdua. Não por menos, pois o “caso de amor” ente o Piauí e a gestão do PT começou com o presidente Lula e é freqüente como tese de defesa que nenhum outro presidente deu tanta atenção ao Estado. Dilma seguiu pelo mesmo caminho, pelo menos em visitas ao Piauí nenhuma outra gestão nacional foi tão presente. O que tucanos e peemedebistas terão de provar agora é que tantas visitas pouco renderam ao Estado. Do lado do PT os números já estão prontos, alerta o deputado Fábio Novo (PT). E repete a máxima “contra fatos não há argumentos”. O que nos resta é esperar.

Zé Filho não escolheu, foi empurrado para Aécio

21/06/2014 - 10:10

empurrado-para-seguro-saudeNão foi bem uma escolha. É o que avaliam os mais próximos. Zé Filho foi, literalmente, empurrado para Aécio Neves. Os leitores do blog terão como avaliar a situação. Além das queixas já publicadas aqui com relação ao tratamento dispensado pelo Governo Federal ao Piauí, e reveladas pelo governador como principal motivo para o rompimento, um episódio em especial foi crucial para a decisão tomada: a vinda de Lula ao Piauí. Ao anunciar sua decisão, Zé Filho lembrou que, quando Tancredo Neves foi candidato a presidente, o Piauí se posicionou como o primeiro apoio na região nordeste.

O vice-presidente Michel Temer ainda ligou para Lula e ao telefone pediu que fosse dado um momento na agenda para o governador Zé Filho na condição de aliados. Foi ignorado. A retaliação partiu do PT que, como em eleições anteriores, não queria dividir a imagem de Lula.Teve outro episódio, ainda, que piorou muito a relação. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, veio ao Piauí e não avisou ao Palácio de Karnak. O ministro da saúde, Arthur Chioro, também vinha sem o conhecimento do governador. O recado foi entendido.

A culpa é do Senado

Ainda não foi dito publicamente, mas podem esperar. Zé Filho vai colocar a responsabilidade do “tratamento discriminatório” do Governo Federal com o Piauí no colo dos três senadores – Wellington Dias, Ciro Nogueira e João Vicente Claudino. Zé Filho surpreendeu até mesmo os petistas que, nos últimos anos, se acostumaram a rivalizar o palanque do PT e disputar o espólio eleitoral do ex-presidente Lula. Para quem não sabe, segundo pesquisas qualitativas, Lula é capaz de transferir até 30% para o candidatos que abraçar e for reconhecido como tal.

Nordeste: repasse do agricultor familiar é 120 vezes menor

21/06/2014 - 09:00

pronaf_ilustraçãoUma proposta do senador Ciro Nogueira (PP), que está pronta para se votada na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, determina que os recursos previstos no orçamento da União para implantação da Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais sejam distribuídos proporcionalmente ao número de estabelecimentos de agricultura familiar ou de empreendimentos familiares rurais existentes em cada estado, conforme dados do Censo Agropecuário.

Segundo o senador, quando se considera a distribuição dos recursos do Pronaf tendo como parâmetro a quantidade de estabelecimentos de agricultura familiar, a média apurada varia de R$ 895,00, em Alagoas, a R$ 10.086,00, em Santa Catarina, uma variação superior a 1.000%. Em termos absolutos, a diferença entre Rio Grande do Sul (R$ 3 bilhões) e Roraima ou Amapá (R$ 25 milhões) é de 120 vezes.

Relator da matéria na CAE, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) é favorável à iniciativa. Ele diz que, entre 2000 e 2007, o maior número de agricultores familiares se concentrava na Região Nordeste, ao passo que a Região Sul foi a que obteve a maioria dos contratos e recursos do Pronaf.

Dilma repete fórmula de Lula e terá forró como jingle de campanha

21/06/2014 - 07:00

Acontece hoje a convenção nacional do PT e nela será apresentado á militância do jingle da campanha de reeleição da presidenta Dilma. O jingle “Coração  Valente” foi produzido pela equipe do publicitário João Santana. A música exalta um perfil da presidente como mulher guerreira e fala da continuidade do projeto petista.”O que tá bom vai continuar, o que não tá a gente vai melhorar”, diz a letra do forró-xote, no melhor estilo “deixa o homem trabalhar”, usado por Lula em sua campanha, também a reeleição.

dilma

Em maio o PT publicou as Diretrizes do seu programa de Governo intitulado “Um novo ciclo de mudanças, Dilma Rousseff presidente, 2015-22018″.  No texto o PT critica a postura da oposição  com relação as políticas sociais implementadas afirmando que “não se trataram de políticas pontuais de “compensação social”, como concebe o receituário neoliberal”. É baseada nessa mensagem que os petistas irão defender a reeleição de Dilma e também os nomes do partido que disputarão as eleições no Estado, a exemplo do senador Wellington Dias no Piauí.

Dilma promete que seu segundo mandato será calcado nas reformas. “No segundo mandato da presidenta Dilma Rousseff , portanto, é chegada a hora das reformas democráticas e populares,para consolidar as políticas bem sucedidas que empreendemos e para deslanchar novas políticas de democratização da renda, da riqueza e do poder”, afirma o plano de diretrizes do partido que servirá como base para um plano de governo.

Assista o vídeo do jingle:
www.youtube.com/watch?v=3k8YQCSs8es

Cenários de 2014

20/06/2014 - 20:00

Se no Piauí, Dilma perde um palanque, no Paraná ganha dois. E se serve de consolo, não é só o PMDB do Piauí que se divide. No Paraná a escolha do candidato peemedebista ao Governo foi na base da porra e pancadaria. Depois de divisão interna, Roberto  Requião foi escolhido por votação como candidato e agora além do palanque petista, Dilma tem o palanque peemedebista. Por outro lado, ao contrário do Piauí, lá o PSDB está do outro lado.  O PMDB é aliado do governador e candidato a reeleição, Beto Richa (PSDB), desde o primeiro mandato. Pelo visto não é só no Piauí que o processo eleitoral deste ano está criando quadros difíceis de entender.

Mudança no Piauí entra na pauta do PT nacional

20/06/2014 - 19:00

Dilma-Rousseff-durante-cerimônia-de-entrega-de-982-unidades-habitacionais-no-Piaui-2Antes da convenção PT, que acontece amanhã (21), todas as coordenações de palanque nos estados devem se reunir para tratar das alianças em todo o país e os palanques que a presidenta Dilma vai dispor. O novo cenário no Piauí será levado ao conhecimento do PT nacional. A aliança e apoio do governador Zé Filho aos tucanos deve mudar os primeiros planos petistas que eram de manter a presidente afastada da campanha no Piauí por conta da aliança nacional com o PMDB.

Da parte peemedebista a mudança de lado é justificada por duas razões, uma seria o tratamento que o Governo Federal, com poucos investimentos em grandes obras e não liberação de recursos, como o caso dos R$ 68 milhões do BNDES que são aguardados pelo Estado. E também a vinda do ex-presidente Lula ao Piauí, que foi entendida como “falta de respeito ao PMDB” do Piauí,aliado desde a primeira eleição do presidente Lula e do ex-governador Wellington Dias.