O mais com menos e a continuação

08/01/2015 - 12:30
Wellington Dias reuniu hoje sua equipe de secretários no auditório do CEIR

Wellington Dias reuniu hoje sua equipe de secretários no auditório do CEIR

Tem sido e foi mantido hoje como  tom do discurso e das diretrizes que o governador Wellington Dias passou à sua equipe de Governo.  O período estipulado pelo governador para o equilíbrio das contas é de um ano e só então o Piauí volte a andar,  a crescer, a investir”.

Equilibrar contas. Como? Arrecadando mais e gastando menos. E como se gasta menos? Reduzindo número de cargos comissionados e aplicando recursos corretamente. Replanejar o Piauí. Como? Analisando onde estão os gargalos e tomando as mediadas imediatas para solucionar os problemas.

Estamos em 2015, mas qualquer semelhança com o que aconteceu há doze anos, quando assumiu o Governo pela primeira vez, não é mera coincidência.

Das duas uma: ou o Piauí não saiu do lugar, mesmo que nos últimos 12 anos os governos tenham sido de continuidade, tendo em vista que as sucessões se deram dentro da própria base; ou houve um desmanche de tudo que já tinha sido feito. O que também é de se estranhar e pelo mesmo motivo, pouca coisa mudou quanto aos protagonistas da administração do Estado.

Alunos e dinheiro a menos

Em 2014 o número de alunos matriculados na rede estadual registrou queda de 86 mil alunos, saiu de 300 mil para 204 mil. Como o valor dos repasses do Fundeb (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) é calculado com base no número de alunos matriculados, não deu outro, o Piauí perdeu dinheiro. Nas contas de W. Dias algo em torno de R$ 300 milhões, cerca de R$348 por aluno.

Cortes no Orçamento

Deputados e senadores, também os da base aliada da presidenta Dilma Rousseff estão preocupados com os valores de cortes no Orçamento Geral da União. Só nos ministérios foram cortados mais de R$ 22 bilhões. O principal temor é de que as emendas parlamentares entrem no bolo dos cortes.

Educação

A disputa por recursos na Educação será a mais acirrada. O Governo Federal decidiu cortar R$ 7 bilhões da pasta, o maior corte. Agora mais do que nunca será imprescindível o bom trânsito e a força da aliança com o Governo Federal para a obtenção de recursos.

Missão Piauí

A deputada federal Rejane Dias (PT), secretária de Educação do Piauí,  tem missão árdua pela frente, antes de pleitear os recursos deve retirar as obras do setor da situação de inadimplência junto ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

Dança das cadeiras na Agespisa

Com decreto de emergência e dívida de R$ 1 bilhão a Agespisa já começa 2015 com dança das cadeiras. É que o atual presidente, Raimundo Trigo, será sabatinado pela Assembleia, deve ter o nome aprovado, mas ficará a frente da empresa somente até o bancário Herbet Buenos Aires poder assumir.  Wellington Dias, em seu primeiro ano, por força de questões burocráticas com a Caixa Econômica, que não quer liberar Herbert Buenos Aires, já começa seu mandato com dois presidentes, faz sete.

Wilson nomeou mais

Desde 2010 já passaram pela empresa cinco presidentes.Presidiram o órgão, Marcus Venicius, Raimundo Neto, Antonio Filho e José Augusto Nunes. Na gestão de Zé Filho, José Augusto Nunes foi substituído por Nelito Dias. Hoje quem está interinamente à frente da Agespisa é Raimundo Trigo, será sabatinado, mas só fica até a Caixa liberar Herbert.

Do poder da mídia e do descaso

07/01/2015 - 17:20

rua

Do poder da imprensa e do descaso Menos de 24 horas depois de ter a situação de abandono mostrada por reportagem local uma rua da zona leste de Teresina, mais precisamente no Planalto Ininga, já não tem sequer vestígio da situação em que um dia esteve.

O lixo foi apanhado, animais mortos também, carpina, e o trator já deixou a rua no ponto de receber asfaltamento. É indiscutível o poder da mídia, mas também não se pode lamentar o fato de se saber de um problema e deixar ele se arrastar até o ponto de ser mostrado pela TV para só então providenciar uma solução.

Ciúmes na PMT  

07/01/2015 - 16:30

 

roney lustosa

Pode não ser, mas muitos já enxergam como sinal dos tempos o sumiço do vice-prefeito Roney Lustosa.

A teoria da conspiração está sendo alimentada pela ausência sentida do vice-prefeito enquanto responde pela administração municipal, tendo em vista o afastamento de Firmino Filho (PSDB) desde o Natal. O questionamento é de que no último afastamento de Firmino, Roney Lustosa se fez mais presente, agora não mais.

A interpretação é de que as relações entre os dois partidos, PSDB e PSD já não são mais como antes.

Outra fonte é a aproximação entre Firmino o PT e o PP. No frigir dos ovos presume-se que o PSD será colocado em escanteio na articulação para 2016. Só o tempo poderá dizer.

 

Desembarque turbulento

07/01/2015 - 15:40

joao-vicente-claudino-e-wellington-dias

O senador João Vicente (PTB) está no Canadá. O momento de comemorar as vitórias do partido foi aliado ao de acalmar os ânimos e esfriar a cabeça. O fato é que João Vicente não ficou muito satisfeito com os arranjos e de como foram colocados os cargos para o partido.

A queixa é de que a instância partidária, incluído ele próprio que é o presidente da sigla, não teria sido consultado. As expectativas para o desembarque do ex-senador em Teresina, que deve ocorrer no próximo dia 14, é de turbulência.

Georgiano indica nome pra Adapi e garante apoio a W. Dias

07/01/2015 - 11:46

 

empresario-toninho-de-caridade-declara-apoio-ao-candidato-wellington-dias-266522

O novo diretor da Agência de Defesa Agropecuária, Antoniel de Sousa Silva, é indicação do deputado estadual Georgiano Neto (PSD), mas o parlamentar avisa logo que a indicação não está condicionada ao valor do seu voto na eleição da Assembleia.

Difícil, pois se os aliados de campanha, nomes que ajudaram foram agasalhados com cargos com vista ao apoio na eleição da Mesa Diretora da Assembleia e estão sendo pressionados para isso, imagina aqueles que estavam do outro lado na campanha, que é o caso de Gerogiano eleito pela coligação adversária a Wellington Dias.

A indicação na verdade é de uma lideranças política que é ligada ao deputado, mas que na campanha apoiou a candidatura de Wellington Dias. Mais conhecido como Toinho de Caridade, o empresário deixou o Governo Zé Filho ainda no meio da campanha, entregou o cargo que ocupava na Defesa Civil e aderiu a campanha de W. Dias.

Um tucano de bico duro

06/01/2015 - 16:27

mardens meneses

O governador Wellington Dias continua alimentando o namoro com os tucanos. E se não fosse a decisão do deputado Marden Menezes, em manter postura firme de que tucano não se mistura com petista, a aliança PT/PSDB já estaria costurada. Marden tem sido o principal empecilho para os planos de Wellington Dias e a voz que defende “coerência” dentro do ninho tucano. O deputado, que é hoje o presidente regional do PSDB, é uma das poucas barreiras que impedem de fato a  costura da aliança.

Apoio certo

Até o ex-prefeito Silvio Mendes já deu seu aval à aproximação política de Firmino Filho e Wellington Dias. Em suas justificativas está a preservação da boa parceria administrativa por Teresina.

Vai na frente

A secretária de Educação, Rejane Dias (PT), será a primeira deputada federal a se licenciar. Rejane assume de fato a Secretaria de Educação. Três dias depois deve pedir licenciamento o deputado Capitão Fábio Abreu (PTB), que assume a  Secretaria de Segurança. Tudo para que o jornalista Silas Freire tenha seus dias como suplente de Rejane.

Silas Freire

O peso do suplente

Aliás, Silas Freire (PR) não esconde seu descontentamento no agasalhar do seu partido, o PR. Acredita que merecia mais que alçar a vaga de deputado federal. Diante disso pleiteou a indicação  de cargos no segundo escalão, mas já foi avisado que as indicações ficam mesmo com o deputado efetivo, no caso a deputada Rejane Dias.

Fiel escudeiro

Um dos fieis escudeiros do prefeito Firmino Filho está entre os mais prejudicados com a costura para a eleição da Mesa Diretora da Câmara. Samuel Silveira era suplente de Luis Lobão, saiu da Câmara e volta a exercer sua função de delegado.

O comando do PSB em Teresina
O deputado federal eleito Rodrigo Martins deixa a Câmara Municipal e o comando do PSB em Teresina. Em seu discurso de despedida, Rodrigo afirmou que a tarefa de comandar o partido na capital foi delegada ao também vereador Tiago Vasconcelos. Rodrigo segue para Brasília no fim de janeiro, para ser empossado na Câmara Federal.