Economia Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020

12/01/2021 - 14:44

indústrias; fábricas,Obras de construção do edifício sede do SENAI, construção civil

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) encerrou 2020 com alta de 10,16%, o que significa 6,13 pontos percentuais a mais que em 2019, quando registrou 4,03%. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou o resultado hoje (12) é a maior taxa da série com desoneração, iniciada em 2013. Em dezembro de 2020, a elevação no índice ficou em 1,94%, superando em 0,12 ponto percentual a taxa do mês anterior, que tinha sido de 1,82%. Em dezembro de 2019, o resultado foi de 0,22%.

O custo nacional para o setor habitacional por metro quadrado, medido pelo Sinapi, passou para R$ 1.276,40 em dezembro. Nesse valor, R$ 710,33 se referem aos materiais e R$ 566,07 à mão de obra. Em novembro, o custo havia sido de R$ 1.252,10.

Para o gerente da pesquisa, Augusto Oliveira, a série foi muito impactada, a partir de julho, pelas altas sequenciais das parcelas dos materiais. “Em agosto, percebemos que a parcela dos materiais se descolou da outra parcela que compõe o índice, que é a da mão de obra, exercendo uma influência muito grande sobre o agregado”, comentou.

A maior variação mensal de 2020 em dezembro foi apresentada pela parcela dos materiais. Os 3,39% no mês mostram alta de 0,24 ponto percentual em relação ao mês anterior, quando ficou em 3,15% e de 3,52 pontos percentuais frente a dezembro de 2019. Neste período houve recuo de 0,13%. A parcela da mão de obra ao registrar taxa de 0,18%, caiu 0,07 ponto percentual em relação ao mês anterior, quando era de 0,25% e 0,41 ponto percentual em relação à taxa de dezembro de 2019 (0,59%).

Na visão do gerente da pesquisa, a pandemia de covid-19, ainda que por razões diversas, explica, em parte, as elevações no segmento de materiais. “Pequenas obras, feitas em casa, aqueceram o mercado durante a pandemia e esta demanda interferiu na oferta de materiais. Indústrias foram afetadas com limitação de pessoal ou de oferta de matéria-prima. Várias situações de mercado, em um período atípico, levaram a um quadro de aceleração dos preços no segmento de materiais e insumos da construção civil, em especial aço, cimento e condutores elétricos, dentre outros”, observou.

Nos materiais, a alta no acumulado no ano de 2020 ficou em 17,28%, enquanto em 2019 foi 4,54%. Já a parcela do custo com mão de obra, chegou a 2,33%, contra 3,47% no ano anterior.

Secretaria de Segurança divulga Relatório de Criminalidade 2020

12/01/2021 - 14:30

A Secretaria de Segurança Pública (SSP), por meio do Núcleo Central de Estatística e Análise Criminal, apresentou, na manhã desta terça-feira (12), o Relatório de Criminalidade de 2020 com números dos crimes de homicídio doloso, feminicídio, roubo seguido de morte, estupro seguido de morte, infanticídio, dentre outros dos quais a morte decorre de uma agressão intencional. Além do monitoramento de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), também foram contabilizados as ocorrências de roubos e roubos de veículos em Teresina, as ações do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) e da Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre).

De acordo com o relatório, comparando os números dos anos de 2019 e 2020 o estado do Piauí teve um aumento de 21,12 % no número de CVLIs. Foram registrados 711 no passado, contra 587 crimes no ano de 2019. Na capital, o aumento de Crimes Violentos Letais Intencionais foi de 25,31 %, sendo 36% das ocorrências na zona Sul de Teresina. Na capital, houve uma redução de 26,31% no número de latrocínio (roubo seguido de morte) e uma queda de 28,07% no número de roubo.

“Estamos analisando as causas e atuamos na consequência. Temos algumas hipóteses para o aumento da criminalidade que, por exemplo, em março a partir da soltura de presos devido na pandemia, um problema de saúde pública, que refletiu diretamente na segurança pública. Mas são apenas suposições, não queremos aqui buscar culpados. Dentro dessa realidade, vamos trabalhar com ações integradas com as instituições federais e municipais”, explicou o secretário de Segurança Pública, coronel Rubens Pereira.

Programa de renda mínima deverá ser discutido neste ano na Câmara Fonte: Agência Câmara de Notícias

12/01/2021 - 13:30

O ano de 2020 terminou sem a prorrogação do auxílio emergencial apesar da continuidade da pandemia. Praticamente todos os deputados, no entanto, afirmam que será necessário discutir um programa de renda mínima ou uma reformulação dos já existentes, como o Bolsa Família, com o objetivo de ampliar a ajuda aos mais pobres. O governo se preocupa com o remanejamento dos recursos existentes para incluir esses gastos dentro do teto fiscal.

A bancada do Psol apresentou projeto (PL 3934/20) que cria um programa de renda mínima permanente para famílias que ganham até meio salário mínimo por pessoa. Para o deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ), vice-líder do partido, o benefício é fundamental para que as desigualdades sociais não aumentem ainda mais.

“Foram os pobres que não conseguiram o direito ao isolamento, que não tiveram acesso a máscaras, que não puderam lavar as mãos porque não têm saúde básica, água potável e moradia”, afirma. “No Brasil, a desigualdade mata. Por isso que uma política de renda em tempos de pandemia é mais urgente ainda.”

Prorrogação
Autor da proposta (PL 6072/19) que deu origem ao auxílio emergencial e relator de uma comissão que discutia antes da pandemia a reformulação dos programas sociais existentes, o deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG) defende uma prorrogação do auxílio emergencial por mais dez meses em 2021.

“Ao findar esses dez meses, aqueles que já estavam nas condições impostas pelo Bolsa Família, que leva em conta o corte de renda per capita, migrariam para esse programa. Dessa forma, teríamos aí um aumento de 7 milhões de pessoas que poderiam ser beneficiadas a distribuição de renda. ”

O deputado General Peternelli (PSL-SP) acredita que o governo vai continuar discutindo a questão da renda mínima neste ano. E ressalta que o auxílio emergencial não pode ser prorrogado indefinidamente.

“Não podemos ficar sinalizando em prorrogar, prorrogar e prorrogar. O presidente Bolsonaro apontou que, em relação Bolsa Família, vamos tentar aumentar um pouquinho. E isso é necessário ”, diz. “Independentemente da renovação ou não do auxílio, podemos ter certeza de que o governo prestará auxílio aos que necessitam. ”

O Bolsa Família atende a cerca de 14 milhões de famílias com um benefício médio de R$ 200. O auxílio emergencial beneficiou aproximadamente 75 milhões de pessoas.

Governo do Estado prioriza em 2021 a conclusão de obras em andamento

12/01/2021 - 12:54

O governador Wellington Dias reuniu-se, nesta terça-feira (12), no Palácio de Karnak, com os gestores da Secretaria de estado da Fazenda (Sefaz), Secretaria do Planejamento (Seplan), Secretaria dos Transportes (Setrans), Secretaria das Cidades (Secid), Secretaria da Infraestrutura (Seinfra), Secretaria do Turismo (Setur), Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi).
Na oportunidade, o chefe do Executivo estadual solicitou que cada secretaria apresente à Seplan a situação de cada obra executada pelo órgão e o prazo para conclusão das mesmas. A prioridade é concluir e entregar o que está em andamento. “Fechamos o ano de 2020 com um dos menores endividamentos da história do Piauí, temos uma das menores dívidas do país e o mais importante é que podemos trabalhar com novas operações de crédito. Estamos nos preparando para ter novas carreiras de investimentos concretos”, disse Wellington.

DER pavimenta ruas do município de São Miguel da Baixa Grande

12/01/2021 - 10:00

O Governo do Piauí, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), realiza obras de mobilidade urbana no município de São Miguel da Baixa Grande, a 150 km de Teresina. Um total de 14.847,50 m² de ruas da cidade receberão pavimentação asfáltica.

Estão sendo investidos recursos na ordem de R$ 874.407,42. Serão beneficiadas as ruas Antônio Cunha, João do Vale, Petrônio Portela, Manoel Fideles, Praça Matriz 01, Praça Matriz 02, Raimundo Carlos de Andrade, Florência Alves da Cunha, Dirceu Arcoverde, Júlio Teixeira, Travessa 01 e rua Manoel Cristino.

Os serviços foram iniciados no dia 4 de janeiro deste ano e a previsão de entrega é de 30 dias.

“O governador Wellington Dias nos autorizou a fazer esse projeto. São 13 ruas no Centro da cidade e isso vai contribuir para a melhoria da qualidade de vida da população de São Miguel da Baixa Grande. Vai melhorar o trânsito, a locomoção das pessoas que precisam se deslocar diariamente pela região. Essa é uma obra do PRO Piauí realizada com recursos próprios do Estado”, explicou o diretor do DER, Felipe Eulálio.

Governo divulga calendário de pagamentos do Bolsa Família em 2021

11/01/2021 - 14:33

O Ministério da Cidadania divulgou nesta segunda-feira (11) o calendário anual de pagamentos dos benefícios do Programa Bolsa Família para 2021. As informações foram publicadas no Diário Oficial da União. Em janeiro, o pagamento será feito entre os dias 18 e 29.

Programa com 14 milhões de famílias inscritas, o Bolsa Família paga os beneficiários conforme o dígito final do Número de Identificação Social. Os depósitos ocorrem sempre nos dez últimos dias úteis de cada mês. As datas já haviam sido divulgadas pela Caixa Econômica Federal, responsável por operar o Bolsa Família. Confira o calendário.