IDEPI conclui mais uma etapa nas obras da adutora Padre Lira

20/11/2020 - 08:00


O Instituto de Desenvolvimento do Piauí (IDEPI) concluiu mais uma etapa na construção da Adutora Padre Lira, no município de Dom Inocêncio, no semiárido piauiense. A obra do Governo do Estado possui, ao todo, 50 km de extensão e será uma das obras estruturantes mais importantes no combate à seca, pois vai melhorar o abastecimento de água na região, garantindo a regularidade na sua distribuição e beneficiando direta e indiretamente 12 mil habitantes.

“Além de atender à população da zona urbana, ela também chegará aos moradores da zona rural próximas à rede, auxiliando, principalmente, as famílias que têm a agricultura familiar como principal fonte de renda”, diz Leonardo Sobral, diretor-geral do IDEPI.

Nesta etapa, explica Leonardo Sobral, está sendo finalizada a implantação e montagem da estação de tratamento de água (ETA) que possui capacidade de armazenagem de 72m3 por hora. Ele informa que a adutora será abastecida pelo reservatório Jenipapo, possuindo capacidade de 400m3 para distribuição de água tratada.  Além disso, possui também duas estações de bombeamento, estações elevatórias, 18 unidades de reservatórios de fibra, com capacidade para 15 mil litros, bebedouros para animais, dentre outras características.

De acordo com o gestor, o investimento na construção da adutora chega a R$ 16,8 milhões, sendo os recursos provenientes do tesouro estadual e do orçamento geral da união. A obra também está enquadrada no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

“A construção de adutoras, assim como a perfuração de poços, a construção de açudes e barragens são obras de benefício social muito grande. Através delas, conseguimos minimizar e até evitar danos maiores à população dos municípios, uma vez que eles poderão armazenar água e assim fazer uma melhor distribuição nos períodos de escassez”, pontua Leonardo Sobral.

O diretor de engenharia do IDEPI, Antônio Marcos Lima, destaca que uma das maiores vantagens da adutora é, sem dúvida a melhor distribuição de água nessas regiões afetadas pela seca, em especial em períodos longos. “Além de trazer benefícios para o consumo humano, este tipo de obra tem também impactos econômicos positivos, uma vez que possibilita a abertura de novos empreendimentos que dependem diretamente da disponibilidade de água”, avalia o engenheiro.