Coluna do dia – Zé Filho e o freio de arrumação

30/07/2014 - 12:06

freio de arrumação

 

Zé Filho e o freio de arrumação

O governador Zé Filho teve que agir rápido para evitar mais uma baixa no grupo político de sustentação no interior, mais precisamente Pimenteiras , na região sul. É que o ex-prefeito Nonato Marreiros já tinha comunicado aos seus pares, inclusive no município, que estaria aderindo nesta quarta para o governador Zé Filho. Marreiros foi diretor da Agespisa, com todos os poderes, na administração do ex-governador Wilson Martins e estava fora da administração, assim meio esquecido, desde a ascensão de Zé Filho ao Governo. Negociações intensas nos dois lados e até o momento ao que parece, Marreiros permanece no grupo governista. É que, com a saída de Gil Paraibano do grupo, ficou mais fácil a acomodação e foi oferecida Agência de Desenvolvimento Habitacional (ADH). Cenas e próximos capítulos são aguardados por toda a semana com maiores desdobramentos deste episódio. O certo é que existem alguns pontos a serem analisados. O primeiro é que Zé Filho não poderá aceitar todo tipo de ameaça de rompimento. O Estado não cabe todos. É preciso mostrar a liderança a que se propõe no comando do Palácio de Karnak. O segundo é que deve ser levado em consideração o efeito demais uma baixa, poucos dias depois da saída de Gil na região sul. Este fato pesou muito e deve ser levado em consideração para evitar o que a oposição vem  “cantando” aos quatro ventos como forma de desestabilizar o grupo da situação.

 

Zé Filho cobra “presença forte” de aliados

Há pelo menos duas semanas colocamos no blog a necessidade de uma “chamada” de Zé Filho no grande número de lideranças em seu palanque. Ontem, pela primeira vez, Zé Filho disse que cobrará “presença forte” dos aliados em sua campanha.

Faz certo, muito certo. Depois não adianta reclamar como fez o

 

Cantiga de grilo nas finanças

O senador Wellington Dias lança mão de uma velha estratégia em campanhas eleitorais e bate na tecla de uma nota só – a quebradeira nas finanças estaduais.

O danado é que todos os adversários da vez, nesta eleição, estavam ao seu lado inclusive quando outros falavam em rombo nas contas e que só agora se soube o tamanho da conta.

 

De pires na mão e vazio

A secretária da Defesa Civil, Simone Pereira, voltou de Brasília com a confirmação de que o Governo do Estado não mais terá participação no programa Carro Pipa.

Agora, o convênio será direto entre Exército e Prefeituras Municipais. O problema é que outros estados como o vizinho Ceará e a Paraíba já receberam recursos com esta finalidade em 2014.

Vai ficar difícil explicar o motivo desta atitude que só tem um nome – retaliação!