Coluna do dia – Marina: de furacão a chuva de verão

01/10/2014 - 13:22

pesquisa ibope elisabeth sa

A pesquisa  Ibope divulgada ontem revela distanciamento da presidenta Dilma Rousseff (PT) e consistência no crescimento de Aécio Neves (PSDB) ameaçando a ida de Marina Silva (PSB)para o segundo turno.  Segundo a pesquisa,  Dilma abriu quinze pontos de vantagem em Marina, Aécio cresceu dois pontos. Marina foi a única que caiu, dois pontos.

A questão é que há exatamente um mês Marina Silva estava empatada com Dilma Rousseff. E Aécio que tinha 15% há um mês, cresceu cinco pontos realimentando as esperanças tucanas de chegar ao segundo turno.  Marina, como o blog havia previsto, de furacão está se transformando em chuva de verão; ou seja, aumenta o calor e a pressão, as nuvens resistem e não deixam o ar quente subir, mas chega uma hora que a nuvem não aguenta se rompe e o ar quente sobe encontrando o ar frio, chove e tudo volta ao normal.

Marina, ao que parece, tende a ser essa chuva. Duas razões são cruciais para isso, ela não deve chegar ao segundo turno com o fôlego que o partido esperava e principalmente porque o eleitorado não estará mais sob o efeito do luto e da emoção pela morte trágica de Eduardo Campos. Será preciso um fato grandioso e novo para que a pessebista recupere o impulso.

O efeito Marina para Wilson

Com  a queda de Marina Silva, o efeito de colar sua imagem a presidenciável não vai funcionar para o ex-governador Wilson Martins. Além do distanciamento na identidade política dos dois, associar-se à Marina quando ela cai, e justamente no momento em que Elmano  Férrer cresce, não renderá a Wilson.

O efeito Aécio para Zé Filho

Se bem aproveitado, o ânimo pelo crescimento de Aécio Neves  pode ainda render algo ao governador Zé Filho. Isto porque se Aécio tenta tirar Marina do segundo turno no plano nacional.

No Piauí, pelas contas dos governistas, falta muito pouco para levar a disputa para o segundo turno.

Debates que nada acrescentam

Entre o debate da Cidade Verde, semana passada, e o da Tv Clube, na noite desta terça, nada de novo.  Os mesmos temas no que diz respeito a críticas e propostas foram tratados. Zé Filho por exemplo voltou ao assunto barragem de Algodões e o senador Wellington Dias não sai de sua resposta, a mesma que vem dando desde o início da campanha. Então no debate de hoje, a ser realizado pela TV Meio Norte, alguma grande novidade tem que aparecer.

A menos que alguém, algum candidato apresente algum trunfo – como fez Wellington Dias com Hugo Napoleão, em 2002, – vamos ouvir as mesmas acusações, as mesmas negativas, enfim.

Defesa

Por outro lado, ontem durante o debate da TV Clube, no momento em que veio à tona o assunto que vem sendo usado pela oposição, as licitações do Governo suspensas pelo TCE, o governador Zé Filho soube se defender. Wellington Dias alvo natural dos adversários pela liderança nas pesquisas ficou na defensiva.O petista manteve seu discurso de vitimização  e de novidade, como se nunca tivesse sido governador.

Sem refugo

A cinco dias das eleições, prefeitos de oposição que aderiram ao Zé Filho (PMDB), as bases em diversos municípios correram para o colo de Zé Filho, que não está rejeitando. Prefeitos do PP, PTB e do PT estão fazendo reuniões, comícios, carreatas e a entrega de material de campanha aos eleitores que ainda estão indecisos.