Nome para Agespisa é aprovado na CCJ da Alepi

23/05/2017 - 16:42

emanuel-veloso-filho.jpg.756x379_q85_box-0,0,720,361_crop

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou hoje (23) o Projeto de Decreto Legislativo 11/2017 do Executivo que indica o ex-superintendente regional da Caixa Econômica Federal no Piauí, Emanuel Bonfim Veloso Filho para presidente da Companhia de Águas e Esgotos do Piauí (Agespisa).

O relator, deputado Aluísio Martins (PT) ressaltou que Emanuel Bonfim possui uma vasta experiência e reconhecimento. “No ponto de vista legal a matéria preenche todos os requisitos legais”, disse. O deputado João de Deus (PT) destacou também a formação do indicado que é técnico formado em Administração pela Universidade Estadual do Piauí com MBA em Marketing e possui mais de 30 anos de trabalho na Caixa Econômica Federal. A data da sabatina será definida posteriormente.

‘Diretas já’ pode entrar na pauta do STF

23/05/2017 - 11:37

 

 

Barroso STF

A Ação Direta de Inconstitucionalidade, movida pelo PSD contra a previsão de eleições diretas quando passados dois anos de mandato, já pode ir a pauta no plenário do STF (Supremo Tribunal Federal). A previsão de realização de eleições diretas no caso da vacância do mandato de presidente depois dos dois anos passados da eleição foi aprovada na minireforma, mas foi contestada como inconstitucional pelo partido. O ministro Luís Roberto Barroso já liberou a Ação para apreciação em plenário.

Com a contestação do PSD existe ainda a da PGR (Procuradoria Geral da República), segundo a qual a regra que prevê eleição direta caso haja seis meses de mandato não pode se aplicar ao cargo de presidente.  A PGR defende eleição indireta.

Comissão retoma debate sobre coincidência de mandatos e modelos de financiamento

23/05/2017 - 11:09

Marcelo Castro

A Comissão Especial da Reforma Política se reúnem hoje (23) á tarde na Câmara dos Deputados.Serão duas reuniões em comissões diferentes, uma tratará a respeito do relatório parcial da Reforma Política e na outra os deputados discutem a medida que altera o tempo de mandato e estabelece a coincidência dos mandatos.

O tema havia levantado polêmicas há duas semanas quando a medida da coincidência dos mandatos entrou em pauta e foi entendida como uma manobra que poderia favorecer o Governo de Michel Temer, mas a proposta estava prevista desde o primeiro debate e aprovação da minireforma ocorrida no ano passado. O deputado Marcelo Castro (PMDB) relator na comissão especial de reforma política em 2015, defende a urgente retomada do debate.

Segundo ele  após as denúncias envolvendo o presidente Michel Temer, a reforma política é prioritária. “Não tem clima para aprovar reforma nenhuma, acho que tudo vai por terra. Acho que tem que começar por zero novamente. A reforma política exacerba a sensação de que é necessário fazer uma reforma política. Observemos todas as delações que foram feitas pela Odebrecht. Qual a categoria mais envolvida na propina? Os políticos. Quando os políticos recebiam essas propinas? Nos períodos eleitorais; então, está estabelecido um vínculo entre a propina e as campanhas eleitorais.”

Firmino diz que PSDB agiu rápido e acertadamente

22/05/2017 - 17:36

Aécio

O prefeito de Teresina repercutiu hoje (22) o momento de crise política pelo qual passa o Governo Michel Temer (PMDB). Como economista Firmino frisou que no momento é importante que a situação econômica do país seja mantida a margem  da crise porque o país já passava por uma recuperação. Para o tucano a situação do PSDB é de enfraquecimento, mas teve agilidade e agiu corretamente em afastar o senador Aécio Neves da presidência do partido. “É uma tristeza muito grande ter um dos líderes do nosso partido envolvido nessas crises, mas é fundamental que possamos dar todo o direito para que ele possa mostrar sua versão.  O PSDB fica enfraquecido, mas teve a agilidade de fazer o afastamento do Aécio é colocar o Tasso Jereissati”, acrescentou.

Aécio apareceu nas gravações da delação dos irmãos JBS pedindo R$ 2 milhões para pagar advogados na sua defesa da Operação Lava Jato.

“Do ponto de vista político o presidente está extremamente debilitado. Na medida em que ele não tenha mais condições políticas de fazer o seu Governo aí poderemos fazer uma leitura política desse processo e aí poderemos seguir o que a Constituição Federal determina”, afirmou.

Firmino lembrou que foi contra o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff exatamente porque a Democracia do Brasil ainda é muito jovem e o impeachment motivado pelas pedaladas fiscais era muito frágil.

“Agora da mesma forma se inicia um processo judicial e já em cima disso se quer fazer impeachment no dia seguinte, o processo tem que seguir o seu curso na medida que as informações vierem aparecer esse impeachment pode se viabilizar ou não”, acrescentou.

Wellington Dias procura empresas âncoras para investir no Piauí

22/05/2017 - 15:00

Wellington Dias

O governador Wellington Dias (PT) reassumiu o Governo após retorno neste final de semana de sua viagem à Europa e hoje (22) cumpre agenda em São Paulo.

Dias participou de audiência com representante do Banco de Desenvolvimento da América Latina – Missão CAF. No encontro, foram apresentadas ao governador a conclusão de estudos sobre Fundo de Investimento e Participações em modelo que permite investimentos para projetos em piscicultura, em Nazária e Guadalupe; em fruticultura, na região de São João do Piauí; e na bacia leiteira da região de Piracuruca.

A proposta conta com a possibilidade de participação do BNB, BNDES ou CEF, com pequenos e médios investidores, segunda explica Luiz Fernando do grupo Caeté, um dos interessados no projeto. O objetivo, segundo o governo, é selecionar agora empresas âncoras para cada negócio e trabalhar a produção, industrialização e comercialização em empreendimento lucrativo, seguro e sustentável.

O projeto de piscicultura deve investir em torno de R$ 50 milhões. O projeto de fruticultura tem a uva como principal produto para venda in natura e deverá contar com produção, inicialmente, de suco da fruta. Ainda deverão ser cultivados melão, caju, goiaba, banana, acerola, manga e outras frutas em Investimentos que devem aplicar cerca de R$ 30 milhões. Para o projeto de produção e beneficiamento do leite, estão previstos em torno de R$ 28 milhões.

Heráclito condena postura do seu partido em ‘abandonar o barco’

22/05/2017 - 14:53

Heráclito Fortes

O deputado federal Heráclito Fortes foi contra a determinação fechada do seu partido, PSB, de deixar a base do Governo Temer.  Segundo Heráclito o partido trabalhou para formar o atual Governo e estava conseguindo se entender com a gestão Temer “inclusive caminhávamos para a aprovação de reformas que o PSB ajudou a construir e a modificar, como foi o caso da proposta da reforma trabalhista. Não vejo razão para este rompimento que ao me ver foi precipitado, e como ficam as reformas que o país precisa? Eu perco a popularidade, mas não perco coerência nem credibilidade, acho que o Michel estás sendo injustiçado por sua base”, afirmou o deputado. Heráclito lembrou que da forma com o PSB se comportou “parece que na primeira turbulência o partido abandona o barco”,

Segundo Heráclito na proposta de reforma trabalhista o presidente nacional do PSB, Roberto Siqueira, identificou pontos na proposta de reforma trabalhista do Governo que o partido julgou necessário mudar. “Então fomos procuramos o relator, trabalhamos e conseguimos as alterações, acho que nesse momento o trabalho pela  reformas que o Brasil precisa é que deve falar mais alto ao invés da paralisação do país”, afirmou o deputado em entrevista concedida hoje (22) aos jornalistas Zózimo Tavares e Nadja Rodrigues.